terça-feira, 13 de abril de 2010

Contos Zoo


Meu cavalo e meu põnei



Olá
meu nome é pâmela, tenho 26 aninhos, sou morena bronzeada, corpo modéstia parte escutural, bem queimada com marquinha minúscula de bikini, cabelos até a cintura cacheados, olhos castanhos esverdeados, seios médios, rostinho lindo de menina e corpo de mulher. bem meu conto é o seguinte, moro sozinha com minha avó e toda noite quando chego da facul paulão meu vizinho está no muro de sua casa até que parece me esperando só me ver entrar. ele era um negro lindo, corpo definido, bem másculo, pernas grossas, enfim confesso um homem super gostoso, certo dia ele mexeu comigo, me convidou pra conversar e então eu fui, porém via na cara dele um sorriso maroto, cara de safado, pedi então que só me desse o tempo de tomar um banho que logo voltaria. passado 40min eu voltei e lá estava ele na área de sua casa olhando por um frestinho da janela um filme que passava lá dentro. bem aquele dia um fogo me queimava por dentro, eu quis bancar a safada com ele, coloquei um vestidinho branco minúsculo quase transparente, com uma tanguinha branca bem pequenininha e sem soutien só para provocá-lo e ver qual seria a sua reação. bem lá fui eu, entrando na área de sua casa, paulão me recebeu com um beijo bem pertinho da boca, bem molhado, juro que me deu um tesão, mas me controlei, ele estava com uma calça jeans bem colada, éra inevitável não perceber sua excitação, seu pau estava visivelmente duro, parecia ser enorme, bem conversa vai conversa vem, ouvi uns gemidos que vinham de dentro de sua casa, então muito curiosa que sou resolvi olhar pela janela, minha nossa, não sei se sentia vergonha, se sentia tesão, sei lá, era um filme pornô, havia uma garota chupando um pau enorme de um cavalo que gozava sem parar na sua boca, na sua cara, então eu resolvi me soltar e falei para ele como será que é dar para um cavalo, sentir um enorme pau daqueles duro nas mãos, paulão sem me responder, levemente me encochou por trás para ver a cena também e me disse se eu tinha coragem de pegar no pau de um cavalo também! caramba sentindo aquela vara dura na minha bunda levemente forcei meu bumbum para trás e senti por inteiro seu pau encaixar na minha bunda, minha buceta enxarcou na hora de tesão, ele respirou em meu ouvido, uma respiração quente e me falou que um dia me imaginou dando para um cavalo, que adoraria me ver punhetando um cacetão daqueles. minha cabeça então foi a mil, fechei meus olhos e me imaginei todo aquele leite jorrando em mim, aquele cacete duro pulsando só pra mim, então disse a ele que se um dia tivesse oportunidade eu faria, nem que fosse uma única vez. paulão até parece que ficou super tarado, me virou pra ele, me puxou pela cintura e me beijou de língua com muito tesão. não aguentando mais de tanto tesão me pegou no colo e me levou para o seu quarto. nem deu tempo de deitarmos em sua cama. paulão fechou a porta, me encostou na parede e ergueu meu vestidinho, exibindo meu peitos que estavam inchados de tesão, aquele negro gostoso mamava como louco em mim, então arrancou meu vestidinho afastou minha tanguinha branca minúscula e lambém gostoso minha bucetinha que pingava na sua língua.
puta que homem gostoso. então foi a minha vez de me deliciar, me abaixando abri sua calça e que surpresa, seu pau quase chegava a do tamanho de um cavalo,minha nossa, chupei até aonde pude e punhetava o que sobrava daquele mastro enorme. sentia escorrer seu tesão na minha boca, um tesão salgadinho, lambia suas bolas cheias de leite pra mim, ai que delícia de homem, que negro gostoso.
paulão então não aguentando de tesão me pôs de quatro e lentamente começou a socar na minha xaninha que estava pingando meu tesão. ele gemia e me elogiava meu corpo. dizia que eu era linda, gostosa, que sempre tinha vontade de meter comigo, adorava se punhetar pensando em mim, principalmente quando eu tomava sol atrás de casa com um biquini amarelinho minúsculo que eu tenho. ele não parava de socar gostoso e passar a mão na minha marquinha de sol que o deixava maluco. toda hora falava na minha marquinha e que morria de tesão. enquanto paulão me comia senti seu dedo alisando meu cuzinho que piscava querendo sim um cacete fodendo. então pedi aquele negro gostoso que fodesse meu buraquinho, mas bem devagarinho. então assim ele o fez. cuspiu em meu cuzinho todo e bem devagarinho foi tentando enfiar; eu me contorcia, mas estava anciosa pra ver meu cú com aquele pausão. que delícia sentir aquela pica negra me rasgando gostoso, ele tirava e cuspia pra lubrificar mais, então aí começou aficar gostoso, aquela vara dura entrava e saia, entrava e saia, num vai e vem alucinante, paulão então me virou de frente me pegou no colo com suas mão por baixo de minha pernas, e pude perceber que meu cuzinho abria bem, que negro safado, sabia o que estava fazendo, ajeitei sua vara bem no meu buraquinho que entro como uma luva. paulão sabia meter muito gostoso, sentia sua vara bem no fundo, dura grossa e bem molhada. que tesão que eu estava que não aguentava mais, seus pentelhos roçavam no meu grelinho e eu gemia louca de tesão. paulão não aguentando mais socou bem fundo e deixou sua vara lá enterrada em minha bunda, que delicia, ele gemeu e começou a gozar, eu pulava no seu cacete e sentia seu leite saindo, então gozei junto com ele, quase morri de tamanho tesão daquele negro suado me fodendo toda. desci do seu pau e mamei ainda gostoso pra ele que me olhava com um sorriso maroto de satisfação. paulão então me disse se eu queria ir na chácara de um amigo dele naquele fim de semana realizar a sua fantasia que era me ver brincando e me divertindo com um pau de um garanhão. eu ainda excitada aceitei o convite e assim o fizemos. três dias depois chegando no sábado cedinho saimos no seu carro em direção a uma cidadezinha vizinha, a do amigo dele, então meu vizinho gostoso dirigia com uma calça de agazalho e sem camiseta, exibindo aquele corpo gostoso, como ja não havia mais o que ter vergonha entre nós, comecei a acariciar seu membro por cima da calça que imediatamente começou a crescer, e não é que o danado estava sem cuecas, que safado. abaixamos a sua calça durante a viagem e fui mamando e punhetando meu vizinho que sem me avisar gozou na minha boca, que tarado filho da puta, que creme gostoso. bem quando vi chegamos ao nosso destino. uma chácara linda, com muitos bichos, muitas árvores, então chegando na porteira buzinamos, mas ninguém aparecia, então paulão mandou eu descer para exibir o meu corpo aos piões que trabalhavam lá, e assim eu fiz, desci do carro e fui andando até a casa bater palmas, quando um homem grande e forte assim como paulão me recebeu, me comendo dos pés a cabeça. eu estava de mini-blusinha calça jeans de lycra bem apertada com minha marquinha aparecendo e botas, aquele peão não parava de me olhar como um tarado, então me disse que já sabia da nossa vinda, seu patrão já o avisara. pediu então que entrássemos e ficassemos a vontade pois estava sozinho ali na casa. seu patrão havia viajado. bem eu e paulão ficamos num quarto até que aconchegante, deixamos nossas coisas lá e fomos andar um pouco conhecer o lugar. ele me disse que já havia avisado seu amigo o dono do lugar o que iríamos fazer, então fiquei mais calma, pois não sei minha reação se ele chegasse de surpresa e me pegasse brincando com um de seus animais.
bem começou a entardecer e paulão foi me mostrar os cavalos, havia um lindo pônei também, que estava exibindo seu pau pra fora, minha nossa, assim ao vivo da um tesão que vocês nem imaginam. então paulão me perguntou o que faltava pra mim ir lá nos cochos com ele e fazer o que combinamos. então pedi uma meia hora a ele e disse que tinha que fazer algo lá na casa, algo que ele iria adorar. surpreso me deixou ir mas pediu que eu não demorasse. então chegando no quarto fui tirar a roupa que eu estava e pra deixar aquele clima com mais tesão, eu trouxe um espartilho branco, cintas ligas, meias, uma calcinha minúscula e uma sandália branca de salto 15 bem alto. queria me sentir um verdadeira puta, queria fazer algo que me daria tesão e fazer paulão morrer de tesão também. bem vesti aquela roupa que modéstia parte fica um tesão em nós mulheres, estava perfeito em mim, destacava bem minha marquinha de biquini. então saí assim mesmo, sem vergonha e sem medo, pois não sabia onde estava aquele peão, então andando pela calçada toda tesão fui em direção aos cochos onde estava paulão, quando de repente vejo aquele peão, tirando a cela de um cavalo a uns 30 metros de mim, como vi que estava me olhando sem olhar para ele, empinei minha bunda e cheguei até paulão. quando ele me viu mais que depressa tirou seu pau para fora e começou a punhetá-lo. pedi para chupar sua vara, mas ele negou, queria me ver eu brincando com um cavalo. bem entrei num cocho onde havia um garanhão e aquele pônei amarrados, fiquei a princípio meu com medo,mais paulão me acalmava. tirei minha calcinha e comecei a passar a mão no pêlo do cavalo, em sua barriga, e as vezes ele me olhava parace que com tesão, até parecia que sabia que tinha uma puta ali pra ele. bem sem medo fui direto ao assunto,comecei a massagear as bolas daquele garanhão e deitando embaixo dele cuspia naquele saco enorme, e continuava massageando, e não é que o danado começou a soltar aquele imenso mastro que não parava de ficar duro, que sensação deliciosa gente, no filme já havia ficado com tesão, pessoalmente então era demais. minha bucetinha pingava de tão molhada, paulão alisava seu pau que também estava uma pedra de tão duro. comecei então a passear com minha língua naquela vara enorme, que pau mais gostoso do mundo, que delícia tudo aquilo pra mim, como é tesão um pau enorme e duro só pra gente, então comecei a mamar como louca, mal cabia na minha boca, sentia o tesão do cavalo escorrer nos mes lábios, comecei a punhetar o cavalo, logo em seguida coloquei meus dedos na buceta e passei na boca e no nariz do pônei que estava ali grudado comigo também e não sei se foi pelo meu cheiro logo em seguida seu pau começou a crescer também. que puta que eu estava, dois cacetes enormes só pra mim. então não aguentando mais de tesão empinei minha bunda bem empinada e tentava colocar o membro do cavalo pra dentro, ele toda hora deslizava e não entrava, então cuspi bastante no pau do cavalo, e aí sim começou a entrar na minha bucetinha, ai que delícia aquela vara enorme, como eu me sentia puta, com uma mão punhetava o pônei que também ja estava melado de tesão, eu estava delirando com aqueles cacetes, estava linda toda de lingerie, salto alto, sentando num pau imenso que me fazia gemer como louca, quando olhei para paulão, não é que vi aquele peão sondando toda aquela situação. mas já não era hora de sentir vergonha, aquela hora era para relaxar e gozar. aquele pau me fodia gostoso, laceava minha bucetinha que estava louca pra gozar e então não aguentando mais tive que gozar lambuzando aquela vara enorme. passei então a mamar gostoso naquele cacete e aquele peão e paulão se masturbavam como loucos, adoravam me ver punhetando aquela vara e olhando para eles com cara de safada, então o cavalo começou a relinchar e a gozar. minha nossa, meti gostoso aquela cabeçona na minha boca e senti tamanha porra jorrar em mim, não parava mais de gozar aquele filho da puta, cheguei a me afogar de tanta porra, que cais e escorria naos meus peitos, barriga e na minha bucetinha que naquela hora estava laceada de cacete. o pônei pingava seu pau, então pensei em dar uma chance para ele, mamei naquele cacete com a porra do cavalo em minha boca o deixando bem lisinho, então novamente empinei meu bumbum e comecei a brincar no meu cuzinho. e não é que o danado estava gostando, sentia ele dar estocadas querendo enfiar pra dentro, então com tesão ainda em ganhar mais um banho de leite comecei a forçar minha bunda naquele cacate e assim ficamos quase que uns dez minutos até começar a entrar. que sensação de dor e tesão ao mesmo tempo. aquela vara comecou a entrar devagarinho e o ponei começou a sentir tesão, pois eu sentia ele pulsar seu membro e dar estocadas pra querer me foder, então pensei, quero hoje foder mesmo, empurrei minha bunda com vontade naquele cacete enorme que começou a entrar e rasgar minha pregas sem dó, eu gritava de dor e de tesão, e então começou a ficar gostoso, aquela vara enorme pulsava gostoso no meu cú, bem molhado de porra do cavalo, e socava gostoso aquele danado, seus olhos brilhavam de tesão, e eu rebolava meu rabo pra ele foder, sentindo suas estocadas, quando de repente aquela vara inchou provavelmente para gozar, quase me matando de tesão, senti aquela vara enorme gozando um leite quente, super quente invadindo minhas entranhas, me enchendo inteira de gozo, não parava de dar estocadas e gozava socando bem no fundo, eu gritava de tesão e gozava muito naquela vara, paulão e aquele peão não aguentando de tesão se aproximaram de mim espirraram jatos deporra na minha boca enquanto o pônei terminava de encher meu cú de tanto leite, gente que sensação mais excitante e gostosa, como foi bom me sentir uma verdadeira puta naquele dia. ainda tirei o cacete do pônei do meu rabo e mamei até a ultima gota. eu estava verdadeiramente preenchida e cheia de porra assim como eu queria. mamei em todos aqueles cacetes e ganhei muito, mais muito leite. me senti feliz e realizada.
eu e paulão fomos até dezembro do ano passado passar o fim de ano lá na chácara do seu amigo, mas tinha muita gente e não tive coragem de repetir a cena. mas ainda quero muito sentir tudo de novo.

Um comentário: