terça-feira, 27 de abril de 2010

terça-feira, 13 de abril de 2010

video zoo ...

video

video zoo

video

contos sado

Meu sogro me estuprou


Me chamo letícia, tenho 28 anos, sou paulista, tenho 1,65m e peso 57 kg. como uma boa mistura brasileira tenho os olhos verdes e a pele clara da família européia de minha mãe, cabelos castanhos, longos e cacheados, seios fartos, pernas grossas e bumbum grande e redondinho como o lado negro que herdei de meu pai.

essa estória começa a dois anos. sou auditora e tinha aceitado trabalhar para um grupo que lida com siderurgia. fazia parte do meu trabalho viajar pelo interior visitado as instalações do grupo fazendo auditorias. em uma dessas viagens conheci joão paulo. ele era o gerente de uma das áreas da siderúrgica. um homem da região, grande mas muito gentil e doce, bonito a seu modo. nos apaixonamos quase que imediatamente.

acabei conseguindo um posto na cidade e me mudei para lá. seis meses depois estávamos casados. a família dele me recebeu muito bem, exceto pelo pai, s. feliciano. um homem rústico do interior, que me tratava sempre de modo bastante distante e mal humorado.

nossos turnos de trabalho nem sempre coincidiam e um dia joão paulo saiu para o trabalho e eu fiquei em casa. era um dia quente e eu me preparava para um banho, mas escutei um barulho na porta, vesti um vestido fino de alças e fui verificar. era meu sogro dizendo que tinha ido pegar uma coisa do joão paulo. ele foi entrando sem cerimônia em direção ao nosso quarto. eu mais do que depressa fui atrás dizendo que joão paulo não estava em casa e que ele deveria voltar mais tarde.

ele riu e perguntou se a moça da cidade grande tinha medo de ficar com ele. eu respondi que não era medo, mas que se ele queria alguma coisa do joão paulo ele devia esperá-lo voltar. ele riu de novo e deu para sentir o bafo quente da bebida se espalhando no ar e me disse que era melhor o filho não estar em casa, que ele ia dar um trato no que aquele moleque não sabia cuidar direito. ele avançou em minha direção e eu com medo tentei sair do quarto.

ele então me agarrou pelos cabelos, me puxou para bem junto dele e me perguntou: onde a mocinha da cidade grande pensa que vai? ele se encostou em mim e eu pude sentir o membro duro e anormalmente grande encostando em minhas nádegas. me debati e tentei me soltar, mas ele me deteve com uma bofetada que me derrubou sobre a cama. ele riu de novo com aquele cheiro forte de bebida e tabaco e disse: a putinha já está pulando para a cama. e pulou em cima de mim me prendendo no colchão com seu peso e seu corpo enorme, me mantendo quase que totalmente imobilizada. ele enfiava a língua na minha boca enquanto apertava tanto meu seio que pensei que fosse esmagá-lo.

aquilo era totalmente insano, mas eu começava a ficar excitada. ele tentou beijar meu seio, mas o vestido atrapalhava, então sem pensar ele o rasgou me deixando só com a calcinha fio-dental. ele me olhava como um louco e passou a chupar meus seios, lambendo e mordendo. senti quando ele tirou a calça e o pau dele que encostava na minha perna era uma anomalia. aquilo estava me enlouquecendo. então ele meteu a mão entre as minhas pernas e ao notar que eu estava melada ele enlouqueceu de vez. me dizia: era isso que essa putinha da cidade queria. aquele corno do meu filho não sabe te dar trato. eu vou cuidar disso sua vagabunda. pensa que eu não sei do que essas putas de cidade gostam...

ele estava tão alucinado que fiquei com medo e tentei escapar, na tentativa acabei ficando de costas para ele, sobre a cama. foi como um convite. ele me segurou e me prendeu contra a parede por trás do espaldar da cama, arrancou minha calcinha e forma tão brutal que senti que me machucava a pele. eu grita e implorava e ele para parar. ele riu e foi colocando aquele monstro entre as minhas pernas. então, sem dó, senti quando ele me enterrou aquela coisa enorme na xana. era uma coisa tão imensa que pensei que fosse me rasgar ao meio. a voz me sumiu quando senti aquela tora me tocar o útero.

ele começou a bombar dentro de mim, me segurando pelos cabelos, metendo com força. aquela situação era louca, eu estava ali, na cama do meu marido, que sempre me tratou com a maior delicadeza, como se eu fosse uma bonequinha, sendo currada, sem pena, pelo meu sogro. isso me deixou louca. sem perceber o que estava fazendo comecei a gemer. quanto mais ele batia e me xingava mais alucinada eu ficava. eu gemia, gritava, urrava e rebolava de tanto tesão. ele me deu um forte tapa e disse: era isso que você queria né sua vagabunda, agora rebola para levar pica, sua puta. aquele corno de trata como boneca, mas eu sei o que essa cachorra quer.

foi então que para meu desespero senti ele tirar de dentro da minha xana e encostar no meu cuzinho. entrei em pânico! ele era uma anomalia de grande. eu estava acostumada a dar a bundinha para meu marido, mas ele não era tão grande e sempre fazia isso com muito carinho. tentei escapar, mas isso só o deixou mais louco. consegui sair de cima da cama e tentei correr para a porta, mas ele me segurou contra a parede me encochando. eu gritava e implorava a ele para não fazer isso, mas ele só ria e dizia que puta de cidade se tratava assim.

senti quando ele começou a forçar o meu cuzinho. até que passou a cabeça, nessa hora a dor foi tanta que fiquei totalmente sem condições de reagir. então sem me dar tempo para reagir ele enfiou o resto. entrou até a metade. nessa hora pensei que fosse morrer, a vista escureceu e me faltou o ar. quando dei por mim ele já bombava livremente no meu cuzinho. fui recobrando os sentidos, escutando ele me xingar, suas mãos apertavam meus seios com força. a dor começou a se misturar com prazer. então ele me virou me pondo de quatro, debruçada na cama. minha bundinha ficou bem para cima. ele ria e dizia que era bom de ver o pau dele me arregaçando o cuzinho, que eu era uma boa cachorra para agüentar tudo.

a dor e o tesão me alucinaram. senti que ele babava nas minhas costas enquanto bombava mais rápido. eu estava fora de mim e comecei a pedir para ele gozar na minha xana, que eu queria sentir toda aquele porra dentro do meu útero. ele então tirou do meu cuzinho e meteu com vontade na xaninha e dizia: vou te emprenhar sua puta, vou fazer o trabalho que o corno do meu filho não fez. ele puxava meus cabelos e me cavalgava como uma égua, metendo com força. eu rebolava e gritava de prazer, pedindo mais. senti que ele começava a urrar bombando ainda mais rápido dentro de mim. quando senti toda aquela porra jorrando dentro de mim, gozei como nunca havia gozado antes. eram jatos fortes que me inundavam enquanto ele cai por cima das minhas costas suado e babando.

depois de um ou dois minutos ele levantou e me mandou lamber todo o pau dele. eu obedeci gulosa. lambi e chupei aquele mastro anormal como se fosse uma gatinha sedenta. quando terminei ele se vestiu, me olhou e disse: conta isso para alguém e eu te mato sua vagabunda e pode me esperar amanhã porque eu vou te foder até te ver de barriga. e foi embora... mas ele tem voltado quase todos os dias e isso já a mais de seis meses. claro que como tomo remédio ele não vai me engravidar e vai continuar voltado e me dando muito prazer.

hoje sou uma mulher absolutamente feliz e realizada. tenho um marido maravilhoso que faz amor comigo, me enche de carinho e me trata como uma princesinha e um sogro devasso que me fode e me estupra como uma puta.

contos

Assisti meu cachorro metendo na minha namorada


Meu nome é alexandre, tenho 25 anos, carioca, sou um cara bem resolvido, moro sozinho em um apto no rio, alias sozinho não, tenho um cachorro lavrador, manso, parece um bicho de pelúcia, inclusive com a ajuda dele já peguei muita mulher, rs... sou professor de natação, solteiro, tenho um corpo atlético, sou loiro, olhos verdes.
atualmente estou namorando uma ninfeta gatíssima de 18 aninhos, ela tem a pele branca cabelos cacheados até os ombros, ela lembra muito aquela atriz....ana paula arósio, ela tem um rospo lindo tudo no lugar sem exageros, tem um pezinho lindo, falo isto com garantia pois sou tarado por pés bonitos, e ela é demais na cama, mas o que vou contar foi uma cena muito deliciosa, foi a primeira vez que presenciei, era um sábado umas 07:00hrs eu dormia na minha cama, e ela também, depois uma noite toda de muito sexo, como costumo acordar sempre cedo, eu estava apenas cochilando, estava de boa na cama, meu cachorro fazia um barulho danado na porta, eu estava com uma preguiça danada pra levantar e ver o que queria, minha namorada gosta muito dele, ela já estava acordava, e pintava as unhas do seu pezinho sentada na cama, peladinha, ela então levantou-se falando “o que será que meu amorzinho quer?”, era assim que ela chamava o feroz, ela foi abriu a porta, eu via tudo com os olhos entreabertos, ele entrando no quarto, pulando com as patinhas nela, ela deu um gritinho sorrindo, e falou “ai meu amor, o que você quer eihnn”, ela se abaixou abraçando ele e acariciando seu pelo, que era muito bonito, na cor bege claro, então eis que vi meu cachorro enfiando o fucinho entre as pernas dela, que estavam abertas ao agachar, e passou a lamber sua bucetinha, e ela deu um tapinha no seu corpo “ai seu safadinho”, abri os olhos vendo ela, ela olhou pra mim sorrindo, e eu retribuia, sorrindo de uma forma safada, o feroz então enfiou mais seu fucinho com tanta força e fez ela cair sob o carpete de pernas abertas pra ele, e não deixou de lamber, vi pelo rostinho dela que gostava, e deixava meu cachorro a lamber, ela olhava pra mim, e colocou a mão sob a cabeça do feroz como se forçasse pra ele chupar mais, e falava “ai amorzinho, você está tão taradinho hoje, serei sua putinha agora”, o mais engraçado que ele olhando pra ela com uma cara de safado, como se entendesse, e ela chupava, ela toda deitada no chão, acariciava seus peitos, sentindo meu cachorro a chupar, neste momento me sentei na beirada da cama, batendo uma punheta, vendo a cena, ela olhava pra mim, mordendo os lábios e meu cachorro se deliciava, notei que o feroz estava excitado, ela percebeu meu olhar e viu também, ela então se virou de costas, deitada no chão, feroz einda meteu o fucinho na sua xana, estava tarado o cachorro, depois vi ela abrindo a bunda dela com as mãos, e ajeitando mostrando o cuzinho dela, o feroz meteu o fucinho ali, dava umas lambidinhas, o rado dele não parava de mexer, ela o chamava de safado, então ela deitou sua bunda a altura do pau dele, abriu as pernas, e o filho da puta pulou em cima dela, tinha até um pauzinho avantajado pra um cachorro, e começou a dar varias estocadinhas na putinha, algumas não acertavam, mas a maioria sim, e ela gemia, até o cachorro gozou, saindo de cima dela, eu estava a ponto de gozar, corri pro rostinho dela, batendo uma e gozei no seu rostinho .... segurando-a pelo cabelo, ela lambeu tudinho, eu falava “nossa, adorei isto sua putinha”, e ela “eu também, nunca imaginava, mas adorei”, o cachorro saiu correndo em direção a cozinha deveria estar feliz da vida, eh eh eh, nossa nunca esperava isto dele, mas foi muito interessante.

contos animais ...

tres cadelas e um cão

morávamos o ivan meu padastro, minha mãe e eu, karinee, numa casa estilo sobrado, um quintal enorme, com muros com mais 3,5mts, pois meu padastro gostava muito de privacidade, tinha um canil enorme, onde ele mantinha um cachorro preto da raça dobermann, ele era um reprodutor de primeira, sempre traziam cadelas para cruzarem com ele. a janela do meu quarto no 1º andar era bem em cima do canil, eu tinha visão privilegiada e adorava ver como eles faziam, o nosso cão, tigre, ele não perdoava mesmo, a cadela entrava no canil, ele dava umas cheiradas, lambia a xana da fêmea e já subia nela, dava umas duas bombadas, eu via aquele pinto vermelho, devia ter diâmetro de 5,5cm e o comprimento 18 cm. eu quase ia a loucura, me masturbava, imaginando aquela rola no meu cu, que meu padastro tinha arrombado, eu observava que o tigre enfiava tudo na cadela, de repente ele descia e os dois ficavam trelados, passados uns 20 minutos eles desgrudavam, eu podia ver o cão lambendo aquela coisa vermelha com uma bola enorme no final, nisso eu já estava com o vibrador ligado no meu cuzinho, com uma mão na xana e a outro nos seios, gozando loucamente. foi quando percebi que tinha mais alguém interessado na cruza do tigre, a nossa empregada, já trabalhava conosco a muito tempo, a minha mãe tinha saído com o marido, eu tinha voltado do cursinho mais cedo e ela não sabia disso, então ela achando que estava sozinha, encostou no muro e ficou observando, eu observei que ela estava com uma saia e levantou ela até a cintura, pude ver que ela tinha um bum-bum bem arrebitado, com um fio dental, com uma mão ela se masturbava e com a outra enfiada por baixo da camiseta massageava os seios. o tigre tentava montar a cadela, mas ela não queria, então a cleusa entrou no cercado para segurar a cadela pela coleira e com a outra mão guiava o pinto dele no buraco, mas a cadela saia de baixo, então o tigre aproveitando que a cleusa estava agachada, montava nela tentando a cópula, ela tentou sair fora engatinhando, mas o tigre pegou ela na posição, eu so via o cacete dela sumindo entre as suas coxas. ela levantou tirou a calcinha, levantou a saia nas costas para não ser arranhada, batia na bunda arreganhada:
---vem tigre, vem, vem!!!!!!!!
ele montou nela, bombando, mas não conseguia, ele levou a mão por baixo, encaixando a ponta na porta da buceta, quando o animal sentiu o calor da xana, deu uma estocada que ela chegou a gritar, isto fez que ele fosse metendo com mais rapidez e força, enfiou o nó inteiro nela, parou em cima dela, babando nas suas costas, foi quando ele virou e ficaram bunda com bunda, trelados. eu com uma tesão enorme já estava sem calcinha, só de saia e camiseta. desci correndo, chegando no canil, entrei pegando os dois engatados, ela ficou doidinha:
---karinee, pelo amor de deus, não fale pra ninguém,
---calma cleusa, vai ser um segredo nosso......ri......vou participar também.
levantei a minha saia, fiquei de quatro, engatinhando virei a bunda para o tigre então ele começou a me lamber da xana para o cuzinho, senti a língua áspera dele passando nos lábios grossos, como eu gozei, ele lambia meu liquido como se fosse leite. como ele não tinha desengatado da cleusa e o pau dele estava endurecendo de novo, ele tentava sair, mas não conseguia, então pra sacanear eu comecei engatinhar e o tigre me seguia para me lamber, com isto arrastava a cleusa.
---pare, karinee, fique quieta, ele ta me rasgando, pare por favor............
foi quando ele escapuliu, nos só ouvimos o ruído, ssssplooft, e veio doido me montando, eu sentindo aquele pau molhado nas minhas coxas, tentando acertar minha bucetinha, mas lá eu não queria, era virgem, então pedi:
---cleusa, ajude o tigre acertar meu cuzinho, vai me ajuda.
---menina, você não vai agüentar, é muito grande.....
---não, importa, eu já dei ele uma vez, eu quero sentir essa tora........
ela então pegou o liquido que tava saindo da buceta dela, com a mão labuzou o meu cuzinho, guiando o pau que ao sentir o calor e o aperto do meu anel, bombava freneticamente, eu sentindo dor mesclado com prazer animal, sentindo como uma cadela, sentindo as pregas do meu cu sendo arrancadas, uma a uma, terminando o serviço que o ivan, meu padastro tinha começado, quando eu tinha quatorze anos, mas agora era diferente, alem de ser um pau mais grosso, tinha aquela bola que estava tentando entrar, mas a cleusa segurava para ela não entrar, foi quando o tigre deu uma estocada forte, rompendo a mão dela e entrou de uma vez.
---aaaahhhhhhiiiiiiiii me rasgou, aiiiii,,,,,como dói............
---seu cuzinho ta sangrando, karinee, este pau te esturpou, você ta bem?
---sim, estou, ta acabando a dor eu to sentindo ele gozar dentro de mim, nossa como tem porra este cachorro.
ele desceu de mim, ficamos bunda com bunda, a cadela se aproximou de mim com um olhar de reprovação, pois tiramos o macho dela, ela começou a lamber minha bunda e o pau do tigre, que começou a querer sair, me arrastando pelo canil, pois seu peso era maior que o meu, quando seu pau saiu eu fiquei de quatro, enquanto os dois animais me lambiam, meu sangue e a porra do tigre.
a creusa me levantou e nos fomos para o banheiro do meu quarto, onde tomamos um banho juntas, ela me falou que já tinha feito isto outras vezes com o tigre. rimos muito, desde então nos tornamos confidentes das nossas aventuras.

Contos animais

Amante secreto



Isso que me aconteceu eu nunca esperava,certa vez quando estava no sitio,sai para passear e fui acompanhada pelo cachorro da casa,um cachorrão de roça, bravo e experinte.fui lá para o lado da mata,um recanto bonito e sossegado, depois de um tempo parei para descançar,e o cão tambem,ficamos sentados em uma sombra,foi quando percebi que ele a todo momento expunha um pinto vermelho e rombudo,parecido com a boca de um canhão,eu não conseguia parar de olhar ,estava hipnotizada,e ele parece que sacou,pois ficava cada vez se exibindo mais.já não me aguentava ,ele por fim veio para cima de mim ,tentando me montar,a principio não deixei,mas ele começou a rosnar e latir,forçando meu traseiro com o focinho.me molhei toda,minhas pernas bambearão,eu não queria,mas estava sendo forçada por ele,que já mordiscava minhas roupas ,tentando rasga-las.tive que tira-las.quando me viu nua,ficou ainda mais agressivo,me atacando ,acabei caindo,quando então ele me fucinhou profundamente,sua lingua foi lá no fundo de minha vagina,e gozei,estava totalmente mole e a merçe,era a ingenua na mão do taradão.e ele não teve dó,me montou de quatro e naquele apavoramento não pude fazer nada quando me penetrou fundo,rápido,o pinto foi inchando e eu acabei com a cara no chão,só sentia aquele monstro dentro de mim,queimando,por fim ele ficou imóvel,tentei tirá-lo ,mas percebi então que estava presa,chorei,rebolei,acabei gozando de novo.só saiu uma meia hora depois,foi quando ví oquê tinha aguentado,com aquele nó.
agora ando desesperada ,não sei se volto lá ou não.outras mulheres que tenham histórias do genero e queiram trocar relatos,escrevam.

contos animais

Sou uma cadela



Oi, pessoal. meu nome é carla, tenho 19 anos, sou morena, cabelos negros e compridos, corpo esculturado,pele bronzeada de muito sol, e um bumbum avantajado. moro num sobrado grande, com um quintal também grande, onde cuido de dois cães da raça pastor alemão. um deles se chama kadu e o outro duka. os dois são da mesma idade, porque são irmãos, e tem um ano e dois meses. eles já são bem grandes e super bem dotados. desde muito cedo, vi despertar em mim a curiosidade de transar com cachorros, porque eu dava banho neles desde pequeninos. então quando ia lavá-los, descobri em mim, um lado canino de cadela no cio. quando ia lavar a parte de baixo deles, percebia que o membro ficava rígido, querendo sair para fora. eles nunca transaram com uma cadela de verdade a não ser comigo. um certo dia, resolvi masturbar o kadu, e fiquei assustada quando ele iniciou aquele movimento frenético de um animal querendo transar. fiquei excitadíssima, e não consegui dormir naquele dia. bati não sei quantas ciriricas, e depois no dia seguinte repeti a dose. não tinha conhecimento desse tipo de fantasia, mas sou safada desde pequena, então fui descobrindo a coisa sozinha, e hoje sou expert no assunto. como ainda era virgem, resolvi que iria dar primeiro a minha linda bunda para os dois felizardos. esperei meus pais viajarem para o interior de são paulo, e inventei a desculpa de que não queria deixar os pobres cachorrinhos sozinhos. quanto meus pais sairam, meu coração desparou e minha adrenalina subiu lá em cima. primeiro fui dar banho neles. quando terminei, fui tirando minha roupa e os dois começaram a latir, como que percebendo as minhas segundas intenções. kadu veio correndo cheirar minha gruta, que já estava molhadinha. quando ele passou aquela língua áspera, mas deliciosa na minha gruta, quase desmaiei de tesão, e minhas pernas tremeram. eu só não sabia como iria fazer para iniciar a suruba. então imaginei que seria mais fácil eu imitar uma cadela e fiquei de quatro. os dois cachorros começaram a lamber meu cuzinho e isso me fez gozar umas duas vezes. de repente o duka subiu em mim e começou a cutucar minha bunda, mas errava o buraco. eu movimentei meu corpo e levantei minha bunda para facilitar o trabalho e nessa hora eu quase desmaiei literalmente, primeiro de tesão, porque o duka movimentava rápido, comendo o meu cuzinho como nunca. depois senti uma dor muito grande, e descobri que os cachorros tem aquela bola no seu membro que prende as cadelas por um tempo, bunda à bunda. comecei a gritar, e depois que consegui me acalmar, não parei mais de gozar. era tão gostoso, que nunca mais parei de fazer sexo com os meus cães. depois de um tempo, o duka saiu de dentro de mim, e eu cai desfalecida no chão, e senti aquele caldo quente e viscoso sair de dentro do meu cuzinho. fiquei assustada e encantada quando vi o próprio duka lamber o seu esperma, e depois lamber toda a minha bunda, deixando ela limpa e cheia de tesão novamente. como sou muito safada, logo fiquei com dó do kadu e resolvi que ele também merecia comer o meu cuzinho. fiquei novamente de quatro e o o duka queria subir em mim de novo, mas não deixei, e puxei o kadu para cima de mim. foi maravilhoso, porque agora já sabia como funcionava e curti todo o tesão que ele me proporcionou. percebi que o membro do kadu era muito maior do que o do duka, e isso me proporcionou maior prazer. enquanto o kadu me fodia por trás, eu resolvi fazer uma chupeta para o duka e comecei a masturbá-lo e depois abocanhei com vontade aquele membro vermelho. depois de um tempo o kadu saiu de mim e escorreu aquele líquido quente de dentro de mim, e nessa hora o duka também gozou de novo, só que agora na minha boca. engoli tudinho como se fosse água. que delícia!!! hoje eu me considero uma cadela de primeira e estou muito mais feliz, porque convenci meu namorado de que não tem nada de anormal nisso. hoje ele também curti junto comigo todo esse tesão. meu namorado adora me ver, e eu adoro que ele me veja. escrevam para mim, todas as zoófilas do mundo. espero trocar idéias com vocês. tenho muito que ensinar, e quem sabe, ainda tenho alguma coisa para aprender. by!!! carla (mituki@ig.com.br).

contos animais

Desvirginada por um cão



Meu nome é gabriela.. quando o q vou contar aconteceu eu tinha 13 anos... estava descobrindo o que era ser uma mulher e o que é um homem...
deixem eu me dercrever... sou morena de olhos verdes, cabelos pretos e compridos, pernas grossas, 1,70 de altura e +- 60kg mto bem distribuidos.. o resto deixo q a mente d vcs imaginem..
nunca conheci meu pai, sempre fui filha unica e criada por um tio pois minha mae havia meio q "enlouquecido" depois q meu pai a havia abandonado...
quando tinha uns 10 anos tive d mudr d escola pois a anterior tinha fechado e lah conheci marcos. era lindo, simpatico... td q uma mente infantil imaginava de um principe encantado... nos tornamos amigos, conversavamos sobre td, mas nunca tive coragem de me declarar... dizer o q sentia... de meu primeiro amor!
crescemos juntos... eu com minha admiração sempre contida a ter q suportar ele comentar d suas mais novas paqueras...
no meu aniversario de 13 anos meu tio levou a mim, marcos e outros amigos q no momento n importa os nomes para uma fazenda de um amigo dele passar o final de semana..
o lugar era lindo,varios cavalos, cachorros e um espaço verde inacreditavel... logo saimos a descobrir os lugares... fomos tds e como a maior parte quis voltar ficamos soh eu e marcos...
andavamos sempre conversando diversos assuntos e nem nos importamos aonde estavamos indo... nem sei quanto tempo passamos andando... soh o q me recordo eh q qndo fomos dar conta jah havia escurecido e n sabiamos mais onde era a casa...
ficamos desesperados um tempo, mas como estavamos perdidos mesmo... ficamos onde estavamos esperando q meu tio ou outra pessoa viesse em nosso socorro...
estavamos sentados conversando qndo ouvimos um barulho, marcos foi ver o q era e voltou soltando risadas me chamando para ver... quando cheguei onde ele estava levei um susto.. hvia um cachorro labrador cruzando com uma cadela, axu q era vira-lata pq n consegui distinguir q raça era...
(uma pequena pausa para descrever como estava vstida: um vestido q ia ateh metade da coxa e uma calcinha brancqa meio transparente e um decote pouco mas mesmo assim sensual d+ pra uma menina de apenas 13 anos de idade)
passou um tempo, o cao parou o movimento e ficou parado em cima da cadela por uns min e depois vi o pinto dele saindo, q pinto enorme e soltando um liq esbranquiçado... me senti estranha (depois fiquei sabendo q era tesao) e minha calcinha ficando molhada...
axu q o cao sentiu meu cheiro n sei... sei q ele chegou perto d mim e cheirou minha xana... aquilo me fez arrepiara cada cm do meu corpo... quiz afastar mas marcos me segurou...
pediu pra eu deixar ele xeirar pra ver ateh onde iria se eu me sentisse mal parava... n acreditava q ele tava me pedindo isso... mas como estava gostando da sensação e gostava mto do marcos consenti, me aproximei do cachorro d novo, ele havia voltado em direção a cadela querendo montar nela novamente... como ele n queria sair d perto dela resolvemos espanta-la
percebmos q ele estava com uma coleira escrito max em uma medalaha (devia ser esse o nome dele) levamos max para debaixo d uma arvore... me sentei com as pernas abertas com as costas na arvore e marcos o trouxe para perto de mim...
n foi preciso dizer mais nd... max foi enfiando seu focinho no meio das minhas pernas... dessa vez por cima da calcinha pois havia levantado o vestido para me sentar.. senti sua lingua na minha buceta e um arrepio tomou conta d mim, como se n houvesse mais nd alem d mim e de max...
queria sentir sua lingua entao puxei a calcinha de lado e a cada lambida q ele dava era um prazer enorme...
foi quando marcos puxou ele mandou q o segurasse... assim o fiz... marcos se ajoelhou na minha frente e começou a me xupar dizendo q sempre teve etsao por mim e q n consegui mais se segurar ainda mais com aquela cena e disse q me xuparia ate q eu gozasse... e assim fez...
foi maravilhoso... mas por algum motivo eu n parava d pensar no cachorro q eu estava segurando... estava confusa... achava nojento mas era maior do q eu...
como se max lesse meus pensamentos começou a puxar e n consegui mas segura-lo... marcos percebeeu e deu lugar a ele...me disse q sua maior fantasia era ver uma mulher fudendo com um cachorro... eu disse q n.. q era virgem e talz ele disse q se eu n queria td bem mas q ao menos fizesse o cao gozar... aceitei...
fui passando a mao no pau de max, fazio movimentos ora rapidos ora mais vagorosos e aquele cacete imenso foi crescendo cada vez mais e qnto mais crescia mais tesao me dava aquilo foi almentando cada vez mais...
disse a marcos q n estava me segurando q jah havia gozado soh com essa cena, marcos me disse q eu gozaria muito mais deixando q o cao me fudesse... eu respondi q n sabia... mas q ficaria d quatro mas n tiraria a calcinha..
mal me posicionei max subiu em cima d mim... dava estocadas fortes mas por causa da calcinha n conseguia a penetração quando olhei pra frente marcos estava com seu pau pra fora batendo uma punheta dizendo q eu era uma cadela e q ele gozaria na minha boca..
fiquei brava com aquilo, por mais q cena dissesse o contrario, tentei sair dali mas max rosnou, fiquei com medo dele entao continuei ali... passou um tempo e as estcadas frustadas de max estavam me deixando maluca... marcos disse q tiraria minha calcinha pra q max me penetrasse disse q n queria ele disse q eu n poderia fazer nd pois n poderia sair dali...
ele deu a volta e puxou minha calcinha d lado...
mal ele fez isso senti uma dor aguda mais gostosa... n sabia se xorava ou se gemia... max havia enfiado aquele pau enorme de uma vez na minha buceta ate intaum intocada...
marcos colocou seu pau em minha boca e mandou q o xupasse enquanto max me fodia... seu pau mal cabia em minha boca.. n era mto grande mas era grosso por demais...
e a cada estocada de max eu ia loucura ....gozei muito...estav num paraiso sendo fodida por um cao e xupando o pau d meu amor d infancia... senti q max gazava, parecia q ia explodir de tanto gozo e praticamente no mesmo instante marcos tb havia gozado em minha boca...
passou-se um tempo e max saiu d cima de mim.. parcia uma garrafa de champgne se abrindo... escorria muita porra de cachorro q o proprio lambeu deixando limpinha e saiu prum canto...
quando olho pro lado quem havia chegado??? meu tio... batendo uma punheta e olhando pra mim com um sorriso na cara.. fiquei pavorada... comecei a pedir desculpas mas ele mandou q eu calasse a boca... prontamente calei... ele chegou perto d mim e de marcos q estava tao espantado quanto eu...

bom... o q aconteceu soh no rpox conto....essa experiencia foi maravilhosa...

Contos animais

Transando na veterinâria



Meu relacionamento sexual com animais iniciou-se na época que fui trabalhar numa clinica veterinária como atendente onde fiquei responsável pelo banho e tosa dos animais.no início ficava um pouco constrangida quando dava banhos nos machos devido ao assanhamento deles e como tinha que lavar a genitália acabava passando a mão na pica deles e muitas das vezes dava vontade de segurar e masturbar aquela pica que me deixava exitada mas tinha receio e me controlava.um dia quando fui dar banho em um pastor alemão como ele pulava em cima das minhas pernas e acabou abraçando minha coxa com suas patas fazendo movimentos de vai e vem a pica do animal encosta na minha canela tirando o maior sarro; e a carla que é médica veterinária viu aquela cena me instigou a ter relações com o cão pastor.ela começa acariciar o animal deitando ele cuidadosamente no chão e lambeu a pica do animal. vendo ela exitar o animal passei a lamber a pica do animal juntamente com ela e não aguentando o tesão tirei minha roupa ficando totalmente pelada.logo que me posicionei de quatro imediatamente ele sobe nas minhas costa envolvendo minha cintura com suas patas e de maneira abrutalhada ele tenta penetrar mas não acertava o local, então a carla ajudou a direcionar a pica dele para minha vagina e logo senti a penetração e os seus movimentos bruscos me levou ao êxtase.cada vez mais sentia a penetração da pica do animal invadindo minha vagina;quando derepente sinto uma dor intensa parecia que algo crescia dentro da minha buceta e então a carla tentou me tranquilizar mandando eu relaxar dizendo que o nó da pica do animal tinha entrado dentro da minha buceta e cada vez mais sentia dor,então levei minha mão em direção a vagina notei um pouco de sangue na mão,assustada tentei fugir daquela situação mas não consegui desvincilhar daquela pica que havia descabaçado minha buceta. novamente a carla pede para me tranquilizar e relaxar dizendo que a dor que sentia ia passar e realmente logo a dor se misturou com prazer e acabei gozando intensamente sentindo sua porra preencher minha buceta indo a loucura de tanto prazer que pedia para ele inundar minha buceta de porra.assim que a pica do animal saiu da minha buceta ainda estava pingando então eu e a carla lambemos e chupamos a vara do animal ficando com o rosto todo melado.depois de algum tempo a carla começou a chupar minha buceta sugando toda a porra que tinha na minha buceta e isso me exitou novamente e acabamos nos entregando uma a outra.num determinado momento ela amarrou o consolo na cintura e lentamente foi penetrando na minha vagina e quanto mais ela metia mais eu queria,derepente ela tirou todo consolo da minha buceta e voltou a enfiar novamente,só que dessa vez ela enterrou ele todo de uma vez me levando ao climax de desejo pedindo para ela me arrombar e quanto mais ela metia mais eu rebolava naquele piru de borracha que acabou me levando ao orgasmo.dai para frente eu e a carla trepamos todo dia com os animais que vão tomar banho na clinica; depois da intimidade sexual com o animal eu e a carla continuávamos nossas intimidades nos entregando uma a outra em nossos desejos.

Contos Zoo


Meu cavalo e meu põnei



Olá
meu nome é pâmela, tenho 26 aninhos, sou morena bronzeada, corpo modéstia parte escutural, bem queimada com marquinha minúscula de bikini, cabelos até a cintura cacheados, olhos castanhos esverdeados, seios médios, rostinho lindo de menina e corpo de mulher. bem meu conto é o seguinte, moro sozinha com minha avó e toda noite quando chego da facul paulão meu vizinho está no muro de sua casa até que parece me esperando só me ver entrar. ele era um negro lindo, corpo definido, bem másculo, pernas grossas, enfim confesso um homem super gostoso, certo dia ele mexeu comigo, me convidou pra conversar e então eu fui, porém via na cara dele um sorriso maroto, cara de safado, pedi então que só me desse o tempo de tomar um banho que logo voltaria. passado 40min eu voltei e lá estava ele na área de sua casa olhando por um frestinho da janela um filme que passava lá dentro. bem aquele dia um fogo me queimava por dentro, eu quis bancar a safada com ele, coloquei um vestidinho branco minúsculo quase transparente, com uma tanguinha branca bem pequenininha e sem soutien só para provocá-lo e ver qual seria a sua reação. bem lá fui eu, entrando na área de sua casa, paulão me recebeu com um beijo bem pertinho da boca, bem molhado, juro que me deu um tesão, mas me controlei, ele estava com uma calça jeans bem colada, éra inevitável não perceber sua excitação, seu pau estava visivelmente duro, parecia ser enorme, bem conversa vai conversa vem, ouvi uns gemidos que vinham de dentro de sua casa, então muito curiosa que sou resolvi olhar pela janela, minha nossa, não sei se sentia vergonha, se sentia tesão, sei lá, era um filme pornô, havia uma garota chupando um pau enorme de um cavalo que gozava sem parar na sua boca, na sua cara, então eu resolvi me soltar e falei para ele como será que é dar para um cavalo, sentir um enorme pau daqueles duro nas mãos, paulão sem me responder, levemente me encochou por trás para ver a cena também e me disse se eu tinha coragem de pegar no pau de um cavalo também! caramba sentindo aquela vara dura na minha bunda levemente forcei meu bumbum para trás e senti por inteiro seu pau encaixar na minha bunda, minha buceta enxarcou na hora de tesão, ele respirou em meu ouvido, uma respiração quente e me falou que um dia me imaginou dando para um cavalo, que adoraria me ver punhetando um cacetão daqueles. minha cabeça então foi a mil, fechei meus olhos e me imaginei todo aquele leite jorrando em mim, aquele cacete duro pulsando só pra mim, então disse a ele que se um dia tivesse oportunidade eu faria, nem que fosse uma única vez. paulão até parece que ficou super tarado, me virou pra ele, me puxou pela cintura e me beijou de língua com muito tesão. não aguentando mais de tanto tesão me pegou no colo e me levou para o seu quarto. nem deu tempo de deitarmos em sua cama. paulão fechou a porta, me encostou na parede e ergueu meu vestidinho, exibindo meu peitos que estavam inchados de tesão, aquele negro gostoso mamava como louco em mim, então arrancou meu vestidinho afastou minha tanguinha branca minúscula e lambém gostoso minha bucetinha que pingava na sua língua.
puta que homem gostoso. então foi a minha vez de me deliciar, me abaixando abri sua calça e que surpresa, seu pau quase chegava a do tamanho de um cavalo,minha nossa, chupei até aonde pude e punhetava o que sobrava daquele mastro enorme. sentia escorrer seu tesão na minha boca, um tesão salgadinho, lambia suas bolas cheias de leite pra mim, ai que delícia de homem, que negro gostoso.
paulão então não aguentando de tesão me pôs de quatro e lentamente começou a socar na minha xaninha que estava pingando meu tesão. ele gemia e me elogiava meu corpo. dizia que eu era linda, gostosa, que sempre tinha vontade de meter comigo, adorava se punhetar pensando em mim, principalmente quando eu tomava sol atrás de casa com um biquini amarelinho minúsculo que eu tenho. ele não parava de socar gostoso e passar a mão na minha marquinha de sol que o deixava maluco. toda hora falava na minha marquinha e que morria de tesão. enquanto paulão me comia senti seu dedo alisando meu cuzinho que piscava querendo sim um cacete fodendo. então pedi aquele negro gostoso que fodesse meu buraquinho, mas bem devagarinho. então assim ele o fez. cuspiu em meu cuzinho todo e bem devagarinho foi tentando enfiar; eu me contorcia, mas estava anciosa pra ver meu cú com aquele pausão. que delícia sentir aquela pica negra me rasgando gostoso, ele tirava e cuspia pra lubrificar mais, então aí começou aficar gostoso, aquela vara dura entrava e saia, entrava e saia, num vai e vem alucinante, paulão então me virou de frente me pegou no colo com suas mão por baixo de minha pernas, e pude perceber que meu cuzinho abria bem, que negro safado, sabia o que estava fazendo, ajeitei sua vara bem no meu buraquinho que entro como uma luva. paulão sabia meter muito gostoso, sentia sua vara bem no fundo, dura grossa e bem molhada. que tesão que eu estava que não aguentava mais, seus pentelhos roçavam no meu grelinho e eu gemia louca de tesão. paulão não aguentando mais socou bem fundo e deixou sua vara lá enterrada em minha bunda, que delicia, ele gemeu e começou a gozar, eu pulava no seu cacete e sentia seu leite saindo, então gozei junto com ele, quase morri de tamanho tesão daquele negro suado me fodendo toda. desci do seu pau e mamei ainda gostoso pra ele que me olhava com um sorriso maroto de satisfação. paulão então me disse se eu queria ir na chácara de um amigo dele naquele fim de semana realizar a sua fantasia que era me ver brincando e me divertindo com um pau de um garanhão. eu ainda excitada aceitei o convite e assim o fizemos. três dias depois chegando no sábado cedinho saimos no seu carro em direção a uma cidadezinha vizinha, a do amigo dele, então meu vizinho gostoso dirigia com uma calça de agazalho e sem camiseta, exibindo aquele corpo gostoso, como ja não havia mais o que ter vergonha entre nós, comecei a acariciar seu membro por cima da calça que imediatamente começou a crescer, e não é que o danado estava sem cuecas, que safado. abaixamos a sua calça durante a viagem e fui mamando e punhetando meu vizinho que sem me avisar gozou na minha boca, que tarado filho da puta, que creme gostoso. bem quando vi chegamos ao nosso destino. uma chácara linda, com muitos bichos, muitas árvores, então chegando na porteira buzinamos, mas ninguém aparecia, então paulão mandou eu descer para exibir o meu corpo aos piões que trabalhavam lá, e assim eu fiz, desci do carro e fui andando até a casa bater palmas, quando um homem grande e forte assim como paulão me recebeu, me comendo dos pés a cabeça. eu estava de mini-blusinha calça jeans de lycra bem apertada com minha marquinha aparecendo e botas, aquele peão não parava de me olhar como um tarado, então me disse que já sabia da nossa vinda, seu patrão já o avisara. pediu então que entrássemos e ficassemos a vontade pois estava sozinho ali na casa. seu patrão havia viajado. bem eu e paulão ficamos num quarto até que aconchegante, deixamos nossas coisas lá e fomos andar um pouco conhecer o lugar. ele me disse que já havia avisado seu amigo o dono do lugar o que iríamos fazer, então fiquei mais calma, pois não sei minha reação se ele chegasse de surpresa e me pegasse brincando com um de seus animais.
bem começou a entardecer e paulão foi me mostrar os cavalos, havia um lindo pônei também, que estava exibindo seu pau pra fora, minha nossa, assim ao vivo da um tesão que vocês nem imaginam. então paulão me perguntou o que faltava pra mim ir lá nos cochos com ele e fazer o que combinamos. então pedi uma meia hora a ele e disse que tinha que fazer algo lá na casa, algo que ele iria adorar. surpreso me deixou ir mas pediu que eu não demorasse. então chegando no quarto fui tirar a roupa que eu estava e pra deixar aquele clima com mais tesão, eu trouxe um espartilho branco, cintas ligas, meias, uma calcinha minúscula e uma sandália branca de salto 15 bem alto. queria me sentir um verdadeira puta, queria fazer algo que me daria tesão e fazer paulão morrer de tesão também. bem vesti aquela roupa que modéstia parte fica um tesão em nós mulheres, estava perfeito em mim, destacava bem minha marquinha de biquini. então saí assim mesmo, sem vergonha e sem medo, pois não sabia onde estava aquele peão, então andando pela calçada toda tesão fui em direção aos cochos onde estava paulão, quando de repente vejo aquele peão, tirando a cela de um cavalo a uns 30 metros de mim, como vi que estava me olhando sem olhar para ele, empinei minha bunda e cheguei até paulão. quando ele me viu mais que depressa tirou seu pau para fora e começou a punhetá-lo. pedi para chupar sua vara, mas ele negou, queria me ver eu brincando com um cavalo. bem entrei num cocho onde havia um garanhão e aquele pônei amarrados, fiquei a princípio meu com medo,mais paulão me acalmava. tirei minha calcinha e comecei a passar a mão no pêlo do cavalo, em sua barriga, e as vezes ele me olhava parace que com tesão, até parecia que sabia que tinha uma puta ali pra ele. bem sem medo fui direto ao assunto,comecei a massagear as bolas daquele garanhão e deitando embaixo dele cuspia naquele saco enorme, e continuava massageando, e não é que o danado começou a soltar aquele imenso mastro que não parava de ficar duro, que sensação deliciosa gente, no filme já havia ficado com tesão, pessoalmente então era demais. minha bucetinha pingava de tão molhada, paulão alisava seu pau que também estava uma pedra de tão duro. comecei então a passear com minha língua naquela vara enorme, que pau mais gostoso do mundo, que delícia tudo aquilo pra mim, como é tesão um pau enorme e duro só pra gente, então comecei a mamar como louca, mal cabia na minha boca, sentia o tesão do cavalo escorrer nos mes lábios, comecei a punhetar o cavalo, logo em seguida coloquei meus dedos na buceta e passei na boca e no nariz do pônei que estava ali grudado comigo também e não sei se foi pelo meu cheiro logo em seguida seu pau começou a crescer também. que puta que eu estava, dois cacetes enormes só pra mim. então não aguentando mais de tesão empinei minha bunda bem empinada e tentava colocar o membro do cavalo pra dentro, ele toda hora deslizava e não entrava, então cuspi bastante no pau do cavalo, e aí sim começou a entrar na minha bucetinha, ai que delícia aquela vara enorme, como eu me sentia puta, com uma mão punhetava o pônei que também ja estava melado de tesão, eu estava delirando com aqueles cacetes, estava linda toda de lingerie, salto alto, sentando num pau imenso que me fazia gemer como louca, quando olhei para paulão, não é que vi aquele peão sondando toda aquela situação. mas já não era hora de sentir vergonha, aquela hora era para relaxar e gozar. aquele pau me fodia gostoso, laceava minha bucetinha que estava louca pra gozar e então não aguentando mais tive que gozar lambuzando aquela vara enorme. passei então a mamar gostoso naquele cacete e aquele peão e paulão se masturbavam como loucos, adoravam me ver punhetando aquela vara e olhando para eles com cara de safada, então o cavalo começou a relinchar e a gozar. minha nossa, meti gostoso aquela cabeçona na minha boca e senti tamanha porra jorrar em mim, não parava mais de gozar aquele filho da puta, cheguei a me afogar de tanta porra, que cais e escorria naos meus peitos, barriga e na minha bucetinha que naquela hora estava laceada de cacete. o pônei pingava seu pau, então pensei em dar uma chance para ele, mamei naquele cacete com a porra do cavalo em minha boca o deixando bem lisinho, então novamente empinei meu bumbum e comecei a brincar no meu cuzinho. e não é que o danado estava gostando, sentia ele dar estocadas querendo enfiar pra dentro, então com tesão ainda em ganhar mais um banho de leite comecei a forçar minha bunda naquele cacate e assim ficamos quase que uns dez minutos até começar a entrar. que sensação de dor e tesão ao mesmo tempo. aquela vara comecou a entrar devagarinho e o ponei começou a sentir tesão, pois eu sentia ele pulsar seu membro e dar estocadas pra querer me foder, então pensei, quero hoje foder mesmo, empurrei minha bunda com vontade naquele cacete enorme que começou a entrar e rasgar minha pregas sem dó, eu gritava de dor e de tesão, e então começou a ficar gostoso, aquela vara enorme pulsava gostoso no meu cú, bem molhado de porra do cavalo, e socava gostoso aquele danado, seus olhos brilhavam de tesão, e eu rebolava meu rabo pra ele foder, sentindo suas estocadas, quando de repente aquela vara inchou provavelmente para gozar, quase me matando de tesão, senti aquela vara enorme gozando um leite quente, super quente invadindo minhas entranhas, me enchendo inteira de gozo, não parava de dar estocadas e gozava socando bem no fundo, eu gritava de tesão e gozava muito naquela vara, paulão e aquele peão não aguentando de tesão se aproximaram de mim espirraram jatos deporra na minha boca enquanto o pônei terminava de encher meu cú de tanto leite, gente que sensação mais excitante e gostosa, como foi bom me sentir uma verdadeira puta naquele dia. ainda tirei o cacete do pônei do meu rabo e mamei até a ultima gota. eu estava verdadeiramente preenchida e cheia de porra assim como eu queria. mamei em todos aqueles cacetes e ganhei muito, mais muito leite. me senti feliz e realizada.
eu e paulão fomos até dezembro do ano passado passar o fim de ano lá na chácara do seu amigo, mas tinha muita gente e não tive coragem de repetir a cena. mas ainda quero muito sentir tudo de novo.

Contos Zoo

Contos > Zoofilia > Cachorro > O que levou minha curiosidade!

O que levou minha curiosidade!

Acho que sou tarada, comecei transando com meu primeiro namorado, eu tinha 13 anos e ele 17, moravamos em varzea grande, já tinha o mesmo corpo que tenho hoje, 1,67/54kg, bundinha arrebitada e seios pequenos. depois foram muitos outros, até que casei a cinco anos atras, o casamento durou 2 anos, porque meu marido era muito ciumento, mas me deixou um filho que amo muito. como tinha separado e com um filho, resolvi voltar para a casa de meus pais, lá poderia trabalhar e ficar tranquila, minha mãe poderia tomar conta de meu filho. logo que separei, fiquei um tempo sem transar, na nossa casa tinha um cachorro, rick um mestiço de fila, ele é grande e super brincalhão tem a mesma idade de meu filho. sempre nos sabados eu é quem dou banho nele, aproveito a hora que meu pai e minha mãe saem com meu filho e dou banho nele, sempre que lavava as partes de baixo, percebia que ele ficava inquieto e as vezes sai a ponta vermelha de seu pau, uma vez há uns dois anos, não resisti de curiosa e comecei a masturbar o rick, a pontinha vermelha começou a sair mais e mais, senti que estava ficando úmida entre as pernas estava de short e camiseta, ambos molhados por causa do banho que estava dando, resolvi acabar com o banho e soltar o rick. quando soltei ele saiu correndo pelo quintal e começou a chacoalhar para tirar a agiua de seus pelos, depois deitou e rolou varias vezes na grama, eu fiquei observando aquilo tudo depois fui ao tanque lavar umas peças de roupas minhas e do meu filho, quando estava lavando algumas peças o rick chega perto, pega no cesto de roupas suja uma calcinha minha e começa a brincar com ela, como ela era já bem velinha, deixei, mas me chamou atenção que ele cheirava e tentava lamver o forro da calcinha, até que o a pata ele conseguiu deixar o forro exposto e passou a lamber com sofreguidão, parei de lavar a roupa e comecei a ficar mais excitada, agora pensava seriamente na possibilidade do rick me chupar, não me contive, a excitação era muito grande, sentei na grama e chamei o rick, ele veio com minha calcinha na boca toda molhada, comecei a fazer carinho na cabeça dele e ele foi colocando sua cabeça em meu colo, senti a ponta de seu focinho muito proxima de minha xana, ele então começou a lamber a minha xana por cima de meu short, sua lingua passava pelo meu short e as vezes nas bordas de minha xana. no terreno ao lado, tem um campo de futebol, escutava os gritos dos jogadores que estavam lá, comecei a ficar preocupada, se uma bola caisse no nosso quintal, provavelmente subiriam no murro e iriam me ver com o rick. me levantei e chamei o rick para a lavanderia, lá tinha um quarto de empregada que meu pai tinha improvissado como canil tirando a porta, chegando lá, fiquei nua e me coloquei de 4 em cima de uma colcha que o rick dormia, a colcha cheirava a rick, me abri toda mostrando minha buceta nessa altura completamente excharcada, o rick agora começou a lamber minhas coxas e foi chegando com seu focinho frio na minha xana até que eu senti sua lingua, rápida,e aspera lamber minha grutinha, eram lambidas rápidas e certeiras, me abri mais com auxilio das mãos e ele foi mais fundo, lambia ...lambia....minha buceta, meu clitoris, meu cuzinho e não parava de lamber... fui ficando louca com aquela lingua e me entreguei ao gozo... gozando como a muito eu não gozava, aquela lingua era demais e não parava, olhei para tras e vi seu pau todo para fora, não acreditei naquilo tudo, grande, vermelho, todo cheio de veias, fiquei com agua na boca me virei e segurei naquele pintão, com receio passei a ponta da lingua na cabeça daquele pinto e senti um gosto forte de urina, fiquei com nojo e comecei a masturbar, aquele pinto que já era enorme ficou maior ainda, estava maluca de tesão, descontrolada, notei que a minha mão estava molhada, o rick parecia que gozava, seu pau esguichava um liquido incolor, cheirei a minha mão e ela só cheirava a urina aquele liquido não tinha cheiro era meio pegajoso, lambia para sentir o gosto, não tinha gosto, não pensei mais e cai de boca naquele pauzão com a cabeça meio quadrada. chupava e cuspia aquele liquido, até que uma hoara resolvi engolir e ai não parei mais de chupar, estava suada, e molhada quando derepente sinto o pau do rick inchar e fiacr maior e mais grosso e uma enchurrada de porra quente e aspera começa a sair daquele pauzão quase me afogando, engoli muita porra mas uma quantidade enorme escapou pela beirada de minha boca, não acreditava que pudesse ter tanta porra. quando eu parei de chupar o rick eu já estava cansada, sentei pois estava de joelhos e eles já estavam doendo e o rick, começou a lamber ele agora o seu pinto. ainda não estava satisfeita, me posicionei novamente de 4 e me abri, não deu outra, o rick se levantou e veio direto me lamber, deixei ele me lamber novamente, as coxas molhadas, minha buceta enchardada de tanta excitação e meu cuzinho, mas eu queria mais, queria aquele pauzão todo para mim, o rick acho que captou minha vontade e subiu com as duas patas em minhas costas, ai lembrei que estava nua, e as unhas dele me machucaram, não resisti ao sentir aquela vara tentando penetrar com movimentos, não acertava minha buceta, com a mão guiei a ponta quadrada para a entrada de minha buceta faminta e derepente sinto-me penetrada profundamente, quase caio ele entrou com tudo, aquele cacetão entrou até meu utero e ele bombava rápido ... muito rapido mesmo... sentia dores na buceta e nas costas suas unhas me arranhavam e seu pau entrava todo em mim... a dor foi passando e o tesão cada vez maior, até que senti o pau dele se dilatando, uma sensação diferente, parecia que aquele monstro esta inflando dentro de mim, sentia minha buceta se abrir mais e agarrar aquele pintão, as paredes de minha xana estavam inteiramente coladas aquele pinto que entrava e saia com uma velocidade incrível... não resisti ao tesão e a sensação daquela pica e gozei como uma louca... gemia e gritava e o rick bombava, quando estava quase gozando novamente, ele saio de minhas costa e ficamos os dois com a bundas coladas, aproveitei agora para sentir aquele pauzão todo dentro, não tinha mais aquele peso nas costas nem as patas me arranhando, que delicia, agora era eu quem fazia aquele pau entrar e sair... apertava a xana nele sentia ele todo dentro de mim... gozei novamente... não queria parar com aquilo, tinha encontrado um macho de verdade... gozei mais uma vez. estava ofegante suada, molhada e satisfeita, quis me desvencilhar do rick, mas percebi que estavamos atracados, grudados, forcei e não saia, sua pica estava dentro de mim, me senti uma cadela vadia, e comecei a apertar mais seu pau, aproveitei para gozar de novo era a unica coisa boa que eu pudia fazer, até que ele subiu de novo em minhas costas e começou a bombar novamente senti agora que ele gozou, parecia que tinham enfiado uma mangueira de bombeiro na minha xana e aberto o esguicho, senti meu utero se afogando, comecei a sentir mais tesão ainda quando reparei que minha xana completamente chei começava a pingar e a porra escorrendo pelas minhas coxas, de repente um barulho como se estivessem estourando uma garrafa de champagnhe e sinto aquela tora saido de dentro de mim, com ela um monte de porra vaznado como cachoeira de minha buceta arrombada e aberta, exauta me viro e deito com as pernas abertas. o rick agora esta lambendo seu pau, se levanta e lambe a coberta, lambe toda a porra que tinha escorrido de minha xana, enquanto ele faz isso eu confiro a minha buceta esta aberta e escorrendo porra ainda, enfio tres dedos em minha xana e depois lambo a minha mão, sentindo a porra de rick, eu tinha me transformado em uma cadela mesmo, quando meu dedos não estavam mais com porra enfiava-os de novo em minha xana e lambia novamente. quando o rick acabou de sorver toda a porra do cobertor, veio em direção de minha xana e deu o mair banho de lingua que já tive em minha vida, me limpando profundamente, nem preciso dizer que gozei novamente. exausta me levantei, vesti meu short e minha blusa e fui até meu quarto, me despi novamente e fui até o espelho do armario, me olhar estava completamente animalizada, cabelos desfeitos, olheiras, suada, e com as costas marcadas das unhadas do rick, olheiras profundas, fui para o baheiro e peguei meu espelho de maquiagem e fui ver minha buceta, buceta mesmo, não era mais xana, estava escancarada, abertinha ainda, inchada, vermelha e ardendo, uma ardencia dentro dela toda, parecia que estava pegando fogo. tomei um banho de aproximadamente uma hora, banho quente onde lavei as profundezas de minha buceta, vesti uma camiseta e me deitei, dormi profundamente, até que escutei meu filho me chamando, acabara de chegar com seus avos, inventei que achava que tinha ficado gripada e passei o resto do dia na cama, me recuperando daquela foda maravilhosa. fiquei alguns tempo tentando criar coragem para relatar esse fato verídico, só hoje eu criei, vou tentar contar as outras vezes que transei com o rick, não sei se terei coragem, até hoje o rick é meu macho, as vezes saio com uns cars, mas nada se compara ao meu rick.

domingo, 4 de abril de 2010

Contos Eroticos ...

MONIK E A SOGRA CHANTAGISTA Este lance aconteceu quando eu tinha uns 16 anos e tínhamos fundado, eu e umas meninas da escola, um clube de ficantes, que era grupo de meninas que nos reuníamos em um determinado lugar e ficávamos umas com as outras sem restrições, sem preconceitos e sem rejeições, ninguém podia rejeitar ninguém, mas haviam umas regras, como não ter bebidas, drogas e violências, mas o caso é que uma menina, da 7ª série me procurou, sabendo e querendo entrar para o grupo. Ela era uma moreninha, bem morena mesmo, parecendo uma indiazinha, com os cabelos bem negros e lizinhos, lábios meios grossos e seus seios já eram grandinhos, corpinho bem feitinho, Luciana era uma menina bem bonitinha, ela me falou que os meninos são uns bobocas, que ficam com as meninas, falam para todo mundo o que fizeram e o que não fizeram, e que ela estava de saco cheio. Lhe falei que poderia até entrar para o clube, mas teria que passar por uma iniciação, que era para ela não ficar chocada nem inibida quando estivesse com as meninas, ela aceitou e marcamos de eu ir a casa dela a tarde para uma “iniciação” comigo, a gente ficaria umas duas ou três vezes e dependendo da desibinição dela eu a levaria a uma das nossas reuniões. Com a desculpa de lhe ensinar matemática sua mãe, teoricamente não desconfiaria de nada e fomos para o quarto dela. Depois da porta fechada, sentamos na cama e começamos a nos beijar na boca, no que ela se saiu muito bem, seus beijos eram delicados e sua língua se entrelaçava com a minha com muita sincronia. Resolvemos tirar as nossas blusas e chuparmos os seios, uma da outra, ela pediu para eu chupar os dela primeiro para ela aprender como era, pois nas suas ficadas com os meninos tinha sido só beijos. Chupei seus peitinhos por um tempão,depois foi a vez dela chupar os meus. Ela fez com muita classe parecia que ela já era experiente no assunto, depois nos ficamos sentadas de frente uma para a outra, com as pernas entrelaçadas e ficamos roçando os biquinhos dos peitinhos, uma na outra. Nossa foi demais, quando estávamos no melhor desse lance a mãe dela começou a chamar ela, interrompendo nossa ficação. Bem falei para ela que ela estava indo muito bem, mais umas ficadas nossas e ela estaria apta para ir em uma das nossas festinhas. No sábado pela manhã minha mãe me falou que a Dona Catarina, mãe da Luciana havia ligado para mim dizendo que Luciana queria que eu fosse na casa dela. Estranhei pois Luciana havia me falado que ela este final de semana iria para a casa do pai, os pais dela são separados a anos, tentei confirmar com ela, mas quando liguei sua mãe disse que ela estava no banho, mas para mim ir logo que Luciana queria falar comigo. Tomei banho e fui. Cheguei lá tive a surpresa, logo que entrei perguntei por Luciana e a mãe dela me falou que ela estava no pai dela e que ela me chamara pois queria falar comigo. Ela é uma mulher de 47 anos, tivera Luciana a com uma certa idade, mas não aparenta esta idade toda, parece índia também, cabelos negros, lisos e pouco comprido, seios grandes e + - firmes, uma certa barriguinha, quadris largos, coxas grossas e um bundão maravilhoso. Ela foi direta ao assunto, falou que durante a semana quando eu estivera lá, ela viu o que nos fizemos no quarto, olhando pelo buraco da fechadura. Que safada. Ela fazia cara de que estava zangada, mas não me enganou muito não. Falou que contaria para minha mãe o que fizemos, que isso era feio, etc... até parece que minha mãe não sabia que eu ficava com meninas... fui objetiva também e levantei do safa que estava sentada, ela levantou também e olhei dentro dos olhos dela e perguntei: dona Catarina, vamos parar de teatro, diz logo o que a senhora quer de mim. Ela ficou me olhando com aqueles olhos grandes e lábios carnudos sem dizer nada. Rapidamente entrelacei meus braços em sua cintura, puxei ela para mim, seus braços laçaram meu pescoço e lhe dei um delicioso beijo de língua, ficamos um tempão nos beijando sem dizermos uma palavra, quando acabei, perguntei se era isso que ela queria. Ela me respondeu, que queria muito mais do que eu fiz com sua filha, mas que estava com vergonha de falar. Me contou que esta separada a uns 10 anos e que tinha uns 3 ou 4 que não trepava e que quando viu eu dando um trato em sua filha não agüentou, que se masturbou olhando pela fechadura e na hora que ficamos roçando os bicos dos peitinhos ela teve vários orgasmos. Não dormiu a noite pensando em mim e que teria de me propor de levar ela para a cama e que iniciou esta chantagem, meia chantagem, ela só fingiu que estava brava... beijei-lhe mais e fomos nos despindo pela casa ate o banheiro, onde tomamos um banho juntas, onde chupei-lhe os peitões e ensinei ela a chupar os meus, pois ela também nunca tivera experiência com mulheres, dei-lhe uma chupada na buceta que ela urrou em baixo do chuveiro, teve vários orgasmos com a minha língua na sua buceta. Fui com ela para o quarto e a primeira coisa que fizemos foi um 69 de arrepiar, onde ela chupou a minha buceta até que razoavelmente, pois ela é uma iniciante. Nos chupamos muito a tarde inteira, só lamentei com ela não ter trazido o pirocão para come-la o que fiz no dia seguinte, o domingo pela manha toda, pois a tarde minha ficantezinha chegaria e não queria que ela me pegasse com a sua mãe. Logicamente ela me liberou ir a casa dela sempre que quiser dar um trato na sua filhinha, contanto que a cada duas semanas quando a menina vai para a casa do pai, eu a comesse nos sábados e domingos. Fiquei traçando a sogrinha uns 6 meses até que esfriou. Aos 47 anos foi a mulher mais velha que já peguei até hoje. Espero os comentários de vocês em um dos meus dois e-mail’s que vos passo abaixo: ardentementesuamonik@bol.com.br monik85rj@bol.com.br um beijo, Monik

3 Contos em 1 ...

bem tudo começou qd fui estudar num internato, fui obrigada a ir pra lá melhor dizendo estava namorando muito e meus pais acharao melhor me afatarem dos garotos pois todos na minha rua ja falavam de min. Qd cheguei odiei tinhamos aulas com freiras e tinhamos q rezar varias vezes ao dia. Com o tempo fui me acostumando, mas sempre na hora de dormir ia pro banheiro e me masturbava, depois ia me deitar. Algumas vezes fazia no quarto tb qd a minha amiga dormia. Depois de um tempo, faziamos uma na frante da outra elas me confessou q tb fazia isso, mas nunca nos tocamos nada disso gozavamos muito juntas, porem um dia por descuido nosso nao tracmos nossa porta e a supervisora de nosso dormitorio nos pegou naquela cena batendo cada uma sua siririca. Ela gritanto nos mandou colocar as roupas e acompanha-la ate as freiras superiores, fomos em silencio as 2. Elas contou tudo pra madra superiora q nos olhava com muito raiva nos olhos, fomos levadas pra uma sala sem movies so com 2 cadeiras onde nos mandaram sentar amararao nosso braço e disserao q estamos com espiritos do mal em nos q elas iriam tirar. Foi qd tudo começou....Primeiro tirarao nossas roupas e ficarao olhando pra nos derente a madre se aproximou e apertou meu seio com muita força e continuou fazendo isso sussurando alguma coisa, depois outra tb fez a mesma coisa so q com menas força, pararao e fizerao isso tb com minha amiga. Nos soltarao e mandarao a gente mostrar o q estavamos fazendo no quarto ficamos com vergonha mas a madre disse q senao fizessemos ela iria nos bater e contar a nossos pais, entao começamos a nos masturbar na frante delas , confesso q isso me excitou ter mais gente me olhando, mas estava com medo tb, forao ate minha amiga e mandarao q ela abrisse bem as pernas e se deitasse me pegarao pelo braço e levarao ate ela, e me mandarao passar a mao em sua xana, eu fiquei muito exxcitada fazendo isso minha amiga tb pois sua xana ficou muito molhada e seu grelinho aumentou muito, me mandarao passar a lingua em sua buceta, e obedeci na hora no começo tinha um gosto estranho depois começei a gostar, minha amiga estava gemendo muito qd ela ia gozar elas me mandarao parar, levantaro seus abitos e tirarao as calsinha e me mandarao comecar a chupa-la elas erao bem peludas deitarao se no chao e comecei pela madre q tinha muitos pelos na xana mas sua buceta tinha um gosto bom enfiei minha lingua toda dentro de sua buceta q pingava de tao excitada q estava derenete ela se virou e sentou em meu rosto e esfregou toda aquela buceta peluda em minha cara q ficou toda molhada de gozo entao ela lambeu todo meu rosto e me mandou chupar a irmao Rachel q estava com ela chupei sua buceta tb tinha menos pelo q a da madre mas era peluda tb, irma Rachekl me mandou enfiar minha lengua em seu anus q era bem largo por sinal, fodi seu anus com a lingua ela gemia feito um bicho, pegou sua mao com violencia e enfiou uns 4 dedos dentro da minha xana q engoliu todos com facilidade parecia q estava sendo fodida por um penis, a madre se aproximou e comecou a chpar minha xana e a lamber os dedos da irma RAchel, q ficou se masturbando com isso, depois q eu gozei elas mandarao q nos nos bjassemos enfiei a lingua com gozo na boca da minha amiga q mamou minha lingua com vontade, irma Rachel disse q faria ela gozar pra terminar de tirar o espirito ruim dela e mamou seu grelinha com vontade, depois de termos todas gozado ela disserao q estavos livres dos espiritos e se sentissemos vontade dinovo de nos masturbar pra contarmos pra elas q assim elas nos ajudaria..... Bem achei tudo muito gostoso mas nunca voltei a me masturbar de porta aberta.


--------------------------------------------------------------------------------------------------


Joana era uma mulher jovem,alta,branca,loira e muito bonita.Num momento de dificuldades,decidiu assaltar junto com o namorado e foi pega...Acabou na prisao...Chegando lá,com muito medo,foi para uma sala reservada para uma inspeção de rotina,onde a carcereira deveria examiná-la,para ver se achava drogas,telefones,ou coisas do tipo... Entrando na sala,ela se deparou com uma morena,também jovem e bonita.Ela estava uniformizada e dizia q ela faria a inspeção necessária para a liberação de Joana... Lúcia,então, começou a passar a mão pelo corpo de Joana...branco e trêmulo...Joana entranhou porque Lucia estava sendo muito delicada ao passar sua mão pelo seu corpo...Lucia pediu q joana abrisse as pernas para q fizesse seu trabalho...e nesse momento,percebeu q aquela bucetinha rosada estava quente e molhada.Lùcia não pensou duas vezes e meteu os dedos de uma só vez...E assim ,ouviu um leve gemido... Lúcia empurrou aquela mulher linda para a parede e começou a enfiar mais e mais os dedos naquela bucetinha ainda "virgem de mulher"...Joana gemia....gemia feito uma louca e nessa hora,a carcereira chupava com muita vontade aquele grelinho,já duro de tesão...Lúcia lambeu a barriga e passou de leve a língua até chegar aos seios de Joana...Nessa hora ela já estava entregue...e pedia q Lúcia não parasse de meter,enquanto isso Joana se masturbava...e isso deixava Lúcia enlouquecida de prazer...Lucia chupou um pouco mais aquele seio rosado e botou sua "presa" de quatro...Enquanto puxava seu cabelo,metia com muita vontade naquela bucetinha gostosa...meteu muito....até q ela começou a lamber o cuzinho de Joana...e ainda fudendo aquele bucetinha...Lúcia chamava Joana de "minha puta gostosa" e isso deixava Joana cada vez mais louca de tesão...Joana ficou louca e rebolava na cara da sua amante...Nessa hora,Joana gozou muito gostoso,na cara de Lúcia...Lúcia gostava de mulher assim,totalmente submissa á ela...E desde esse dia,elas tiveram outros encontros naquela mesma salinha de inspeção...


-------------------------------------------------------------------------------------------------


Certo dia eu estava sentindo muitas dores nas costas por ficar muito tempo diante do computador, então procurei uma massagista, meu marido não queria que eu fosse em um massagista homem pois ele tinha ciúme, ele mesmo encontrou uma mulher para me fazer uma massagem, nós estavamos meio brigados e fazia uma semana que não transavamos e eu estava subindo pelas paredes de tesão. Ela chegou e eu fui pro quarto com ela e o meu marido foi jogar bola....No quaro ela me mandou deitar na cama e eu deitei, aí ela falou mas tem que tirar a roupa primeiro, eu com um pouco de vergonha me despi e deiteime na cama de bruços e ela começou a massagem, ela não era um fenômeno de mulher mas tinha umas mãos maravilhosas tocava o meu corpo como ninguém e eu comecei a perceber que aqueles toques estavão cada vez mais gostosos e estavam me deixando com muito tesão, mas eu não sabia se a intenção dela era trepar comigo ou não então fui deixando as coisas acontecerem e a massagem dela já não era mais só nas costas ela desceu para o meu bumbum e deliciosamente apalpava minhas nádegas e entre uma passada e outra desliza a mão como se estivesse escapado e passado o dedo na minha chana que a essa hora já estava toda molhada e louca para ser chupada, depois de algum tempo assim ela me mandou virar de frente e eu sem demora virei, ela perguntou se podia continuar aquela massagem e eu disse que sim, então ela sentou-se encima de mim de maneira que a sua chana rossava na minha sempre que ela se mexia ela, então ela encheu sua mão de creme e começou a massagear os meus seio que já estavam com os bocos durinhos, NOSSA ela pegava nos meus seio deliciosamente e eu estava doida, ela foi descendo as maão e massageou toda a minha barriga e foi descendo até chegar na minha virlha e a parte interna das minhas cochas, parou uns minutos e tirou seu sutiã e a sua calcinha e tirou a minha calcinha tambem, ela pegou as minhas e colocou nos seios dela e me pediu para apetar e eu fiquei mais louca ainda,ela tinha uma chana muito gostosa e com uma eu pegava nos seios dela e a outra eu metia naquela buceta gostosa, ela acariciava meu clitóris e logo não aguentou e gozou na minha maõ ai foi quando ela caiu de língua na minha buceta eu abri bem as pernas e ela me lambia igual um cahorro..QUE DELÌCIA... me colocou de quatro e penetrava o dedo na minha buceta e lambia meu cuzinho e me chamava de puta e me mandava gritar, até que eu gozei e ela lambeu toda a minha chana...Depois que eu gozei ela tirou um vibrador de dentro da sua bolsa e me mandou abrir as pernas pra ela ver a minha chana e meteu aquele vibrador na buceta dela e ficava olhando a minha, me mandava mudar de posição pra que ela pudesse visualizar bem eu fiz várias posições deliciosas pra ela e exibia minha buceta e ela se masturbou até gozar e depois foi caiu de língua na minha chana e eu gozei denovo na boca dela FOI MARAVILHOSO meu marido nem imagina o que aconteceu naquele dia, na nossa cama

Contos Eroticos ....

Bom, para quem não me conhece, meu nome é Cristina, tenho 35 anos, loira, 70 kg, 1,75 m, seios grandes e siliconizados, nádegas volumosas e uma xoxota carequinha e suculenta. O fato que passo a narrar, ocorreu em Novembro de 2004. Bom, como sempre fazia, as quartas-feiras, ia almoçar num restaurante do shopping e aproveitava e comprava algumas roupas. Ao me acomodar numa mesa, reparei numa outra mesa com duas mulheres. Ao fazer o pedido, vi que uma delas se retirou do restaurante e a outra, uma garota de seus 20 anos, morena-clara, começou a fitar-me com os olhos e a fazer gestos lábias e lançando-me beijinhos. Por isso, pedi ao garçom que a convida-se a sentar-se a minha mesa. Ela prontamente aceitou e ao vê-la caminhando, percebi que ela era perfeita de corpo. Então, nos apresentamos e ela disse se chamar Samantha. Então, começamos a conversar descontraidamente e ela não parava de elogiar a minha beleza. Portanto, foram precisos somente alguns minutos para convidá-la a irmos a um lugar mais tranqüilo. Logicamente, ela aceitou, mas alegou de que deveríamos esperar a sua tia, pois a mesma havia ido comprar um presentinho para um sobrinho, mas a Samantha me garantiu que a tia iria aceitar, pois na verdade, ela havia saído do restaurante para não cometer uma loucura, pois havia ficado excitada, no momento em que entrei no restaurante. Bom, esperamos uns 10 minutos e então a outra chegou e se apresentou com o nome de Dolores (tinha uns 30 anos, 1,80 m, 70 kg, morena, seus seios se destacavam do resto do corpo). Com alguns minutos de conversa, pedi a conta e então adentramos ao meu Celta, com a Dolores do meu lado e a Samantha no banco de trás. Bom, foi só sair do shopping para a Dolores pegar sua bolsa, apontar uma arma dizer: Fica calminha sua dondoca. Passa os cartões dos bancos, vira a primeira à direita . Nisso, ela ordenou que parasse e deu os cartões a um senhor próximo a um poste. Então, ela foi indicando o caminho, mas só posso dizer que percorremos várias avenidas da zona Sul de São Paulo. Após umas duas horas, entramos numa estrada de terra, com mato para todos os lados e então, paramos defronte de uma casa em construção. Então, a Dolores ordenou de que disséssemos e quando fomos adentrando ao imóvel, um cão começou a latir. Lá dentro, era uma imundice total, fui empurrada pela Samantha para um dos quartos, onde havia uma cama de casal e ao me aproximar, senti um insuportável cheiro de porra. Nisso, virei-me para sair dali, mas a Dolores me deu um empurrão e olhando nos meus olhos disse: Então a putona é chegada num buça. Gosta de fazer as aranhas brigarem . Nisso, ela beijou-me na boca, abaixou o meu vestido até aparecer um dos meus seios e chupou forte o mamilo, ao mesmo tempo, enfiou a perna no meio das minhas pernas e foi forçando o joelho na altura da minha chana. Então, ela me empurrou contra a cama e disse: Vai tirando a roupa . Sem ter como reagir, me despi e enquanto isso, a Samantha simplesmente se livrava da calcinha, mas a Dolores tirou toda a roupa. Daí, a Dolores abriu as minhas pernas e ficou lambendo a minha xoxota. Ao soltar os primeiros gemidos, a Samantha se sentou na minha cara e ofereceu a sua buceta. Porém, a mesma estava bem fedida, provavelmente não lavava a buça há muito tempo. Entretanto, mesmo a contragosto, fiquei lambendo o seu bucetão. Num dado momento, a Dolores enfiou dois dedos na minha xoxota e já me foi fodendo com extrema força. Foram precisos somente alguns minutos para estar com a minha chana bem encharcada, pois a Dolores sabia foder bem gostoso, mesmo sendo um tanto bruta. De repente, senti algo mais maciço alargando a minha xoxota e com certa dificuldade (tinha que tirar a Samantha de cima da minha cara), consegui ver o que era e ficou horrorizada, pois a Dolores estava metendo um cabo de uma vassoura e me chamando de puta arrombada. A principio senti uma enorme dor, mas com o decorrer do tempo, adorei aquele cabo e acabei gozando gostoso. Nessa hora, a Dolores soltou uma longa gargalhada e me chamou de puta rampeira e que eu precisava era de um pinto de verdade. Nisso, ela ordenou que ficasse de quatro e depois de foder a minha xoxota com força, pediu para a Samantha tomar o seu lugar. Nisso, a Samantha me fodeu tão bem quanto a Dolores, mas de uma forma mais delicada. Num dado momento, ela parou de foder e ao olhar para trás, vi a Dolores trazendo um pastor alemão na coleira. Ao vê-lo, já pressenti o que viria a acontecer e por isso, pensei em sair daquela posição, mas a Samantha foi mais rápida e apontou a arma para a minha cabeça e por isso, a Dolores disse: Não se preocupe sua puta ... daqui a pouco você vai estar gemendo gostoso ... ele fode que é uma maravilha . Nisso, ela subiu com o cão na cama, o colocou na posição e o coitado agarrou os meus quadris com as patas dianteiras e ficou se movimentando como se estivesse copulando. Então, a Dolores apontou o pinto do cachorro para o meu cu e em seguida, o recebi todo dentro de mim. Nossa, na mesma hora, gritei de dor e até tentei sair dali, mas as duas vagabundas me seguraram e por isso, só me restava esperar o cão gozar. Entretanto, após passar o pânico, comecei a curtir aquele pintão e soltei vários gemidos. Nisso, a Dolores riu e disse: Não falei que você ia gostar . Em seguida, ela levou uma mão para o meio das minhas pernas e ficou esfregando forte o meu grelinho. Nessa hora, não suportei e comecei a gemer bem alto e a implorar por mais e mais. Creio que o cão entendeu o meu pedido, pois acelerou ainda mais os seus movimentos e por isso, gozei gostoso. Todavia, num dado momento, senti algo mais grosso arrebentando com as ultimas pregas do meu cu e então, senti o cão esguichar uma enorme quantidade de porra. Então, ele foi se acalmando e ao tentar desmontar, percebi que estávamos engatados. Por isso, as duas putas caíram em gargalhar, mas pararam quando o cão quis sair da cama, me arrastando consigo. Nessa hora, quase chorei de dor, mas a Samantha ficou acariciando o bicho e eu aproveitei e fiquei quietinha, deitada meio de ladinho. Entretanto, a puta da Dolores puxou uma das minhas pernas e voltou a socar seus dedos em minha xoxota. Por isso, logo a dor foi substituída pelo prazer e inclusive, levei uma mão até o meu grelinho e o esfreguei bem forte. Em poucos minutos, já estava gemendo de prazer. Mais alguns minutos e tive mais um orgasmo. Inclusive, vi até o quarto rodar. Quase no mesmo instante, nos desengatamos e nisso, saiu uma enorme quantidade de porra do meu cu. Bom, fiquei ali deitada, nua, por mais duas horas e então, a Dolores jogou as minhas roupas e disse: Você ta liberada ... da o fora ... nem pense em nós identificar ... te acho até no inferno . Logicamente, vesti minhas roupas, entrei no carro e sai em disparada. Fui para casa, tomei um longo banho, liguei para os gerentes dos bancos e fui informada de que as minhas contas haviam ultrapassado o limite de credito. Por isso, tive que apelar para papai, pois tinha muitas contas a pagar e sobretudo, fui para uma clinica de uma amiga, fazer alguns exames para saber se não tinha contraído alguma doença canina. Felizmente, foi só tomar algumas injeções e voltar à rotina da minha vida.

Contos ...

Bom, meu nome é Cristina, tenho 35 anos, loira, 1,75 m, 70 kg, seios grandes e siliconizados, nádegas volumosas e uma xoxota carequinha e suculenta. O fato que passo a narrar ocorreu em Julho de 2005. Bom, como sempre faço, dedico as noites de sexta-feira e de sábado para ir a boates GLS e assim, passar a noite nos braços de alguma garota ou mulher. Entretanto, a própria meteorologia já anunciava um fim de semana frio. Mesmo assim, na sexta-feira fui, mas por haver poucas pessoas, não encontrei ninguém interessante. No sábado a mesma coisa se repetiu, pois se dava até para se contar nos dedos. Mesmo assim, permaneci ali, bebendo e quando foram lá pelas 1:00 hora da madrugada, decidi ir embora. No percurso para casa, passei por um ponto de prostituição e na hora, senti até pena delas, pois mesmo com aquele frio continuavam com seus trajes sensuais. De repente, esse sentimento se transformará em tesão, pois peguei o primeiro retorno e fiz novamente o mesmo trajeto, mas numa velocidade bem reduzida. Por isso, algumas até se exibiram melhor as suas curvas. Algumas tinham corpos estonteantes e outras com excesso de peso e outras magras demais. Fiz esse trajeto mais umas duas vezes, isto para escolher entre as várias candidatas. Então, estacionei o carro e uma morenaça, vestindo uma minissaia e uma blusinha aberta e transparente, se aproximou e depois de acertarmos o preço, abri a porta. Porém, no instante seguinte, ela disse: Que tal um programinha a três, a minha amiguinha é nova no pedaço e não quero deixá-la aqui sozinha! . Na hora, até pensei em cair fora, pois poderia ser algum golpe, mas a minha intuição feminina (e o tesão) falaram mais alto e por isso, aceitei a sua proposta. Nisso, ela fez um sinal a outra garota e está se aproximou. Daí, rumamos a um motel próximo e na portaria a morena exigiu o quarto nº. 13. No quarto, trocamos alguns beijinhos, mas exigi que tomassem um bom banho, pois detesto cheiro de homem. Bom, depois de uns 20 minutos, elas saíram do banheiro e por isso, puder melhor admirar as suas curvas. Bom, deixei-me descreve-las, uma era morena, uns 25 anos, uns 1,70 m, uns 70 kg, seios e nádegas volumosas, coxas bem torneadas, uma vasta cabeleira e a qual chamarei de Estela. Já a outra era uma mulata, não devia ter mais que uns 20 anos, 1,75 m, uns 60 kg, seios pequenos e nádegas um pouquinho avantageada, só se via como se fosse um pequeno corte no meio das suas pernas e ao qual chamarei de Vilma. Daí, nós atracamos e entre beijos e caricias, caímos na cama, então ambas ficaram mamando e lambendo os meus seios e suas mãos acariciavam o meu corpo, sobretudo sobre o meu clitóris. Logo, a Estela foi descendo e após abrir as minhas pernas, começou a passar a língua sobre os meus lábios vaginais. Em seguida, ela enfiou a língua e começou a serpentear bem gostoso. Por isso, em pouco tempo já estava gemendo e inclusive, pressionei a cabeça da Vilma de tal forma, que ela engoliu ainda mais um dos meus seios. Porém, ficamos pouco tempo nisso, pois a Vilma sentou-se na minha cara e fiquei lambendo o liquido que saia de sua xoxota (pois era tão apertadinha que mal conseguia lamber os seus lábios vaginais). Todavia, como queria lhe proporcionar prazer, abri a sua chana e enfiei a ponta da língua e fiquei lambendo até onde podia. Com o decorrer do tempo, a minha língua foi aprofundando ainda mais em seu interior e em conseqüência disso, a Vilma não parava de gemer, gritar e de se contorcer. Entretanto, quando comecei a sentir o sabor da dela, a Estela, enfiou dois dedos na minha xoxota e começou a socar com força e no momento seguinte, começou a esfregar forte o meu grelinho. Em conseqüência disso, fui obrigada a largar a xoxota da Vilma para poder gemer, pois o meu tesão aumentou ainda mais de intensidade. Bastaram mais alguns minutos e anunciei o orgasmo e nessa hora, a Vilma caiu de boca no meu clitóris e o sorveu com extrema voracidade. Por isso, não resisti por muito tempo e lambuzei os dedos da Estela. Nossa, foi uma gozada que não dá para se descrever, mas for tão intensa que fiquei por alguns minutos, com a respiração ofegante e o mais estranho, que não sentia os toques de nenhuma delas. Por isso, ainda com certa dificuldade, levantei a cabeça e ao visualizá-las, percebi que ambas estavam acoplando a seus corpos, um dildo (deviam medir uns 25x6 cm). Daí, elas ficaram manipulando-os e em seguida, subiram na cama. Logo, a Vilma se posicionou, deu uma guspida no bicho e então, deu uma bela fincada (na hora me arrepiei toda) e já foi se movimentando bem devagar. Já a Estela pegou a minha cabeça e enfiou o artefato na minha boca e já foi movimentando os quadris. Entretanto, quando a Vilma aumentou o ritmo das estocadas, mal conseguia chupar o picão da Estela, pois gemia e jogava a cabeça para os lados. Por isso, fiquei alternando entre um boquete e uma punheta. Passado mais alguns minutos, a Vilma deitou-se sobre mim, passou os seus braços por baixo dos meus ombros e me fodeu com extrema força. Por isso, o meu tesão renasceu com força total, pois às vezes em que ela parava, eu levava as mãos até as suas nádegas e procurava fazer os movimentos de entra e sai. Passado mais alguns minutos, me agarrei ao seu corpo e gozei aos berros. Nossa, vi estrelas. Em seguida, a Vilma voltou à posição inicial e a Estela ficou acariciando e chupando os meus seios. Logo, a Vilma trouxe o seu picão próximo do meu rosto e disse: Vai sua puta, engoli a minha pica. Sinta o seu gosto. Isso, assim ... Ai, delicia! . Em seguida, fui colocada de quatro, mas como estava cansadinha, simplesmente empinei a bunda e repousei a cabeça no travesseiro. Então, a Estela se posicionou e socou a sua pica e já foi se movimentando com estrema velocidade. Por isso, mesmo cansada, o meu tesão foi se formando e já comecei a soltar vários gemidos. Após alguns minutos, a Estela deu uma parada total e então, ao olhar a um dos espelhos laterais, vi que a Vilma estava posicionada atrás da Estela e inclusive, dava para se ver, o seu picão entrando no cuzinho da Estela. Por isso, ela mal conseguia se movimentar, pois ficou ali gemendo e acariciando as minhas nádegas. Bom, como não sou egoísta, decidi proporciona-la prazer, pois comecei a forçar a bunda contra o seu corpo. Por isso, a reação da Estela não podia ser outra, pois ficou ali gemendo alto, movimentando os quadris para frente e para trás (com a Vilma socando a pica em seu cuzinho) e acariciando os seus mamilos. Então, a Estela começou a nós xingar e a pedir por piedade. Entretanto, a Vilma nem ligou, pois a segurou forte e então, socou num ritmo frenético. Daí, a Estela deu um tremendo grito e então, senti o seu corpo retrair e basicamente, ela desabou sobre as minhas costas. Logo, a Vilma substituiu o lugar da Estela, mas ao invés de meter na minha xoxota, socou o seu grosso calibre no meu cuzinho. Na hora, até senti um ardido no cu, mas sou adepta do sexo anal. Por isso, a Vilma começou a bombar com força e a safada da Estela disse: Vai Vi, arregaça o cu dessa puta ... Come ela como só você saber comer! . Essas palavras, fizeram com que a Vilma aumenta-se ainda mais os movimentos do entra e sai e realmente, ela sabia foder um cu como poucas, tava uma delicia. Passado alguns minutos, já estava gemendo alto e o tesão a flor da pele. Porém, a safada da Estela empurrou a Vilma e disse: Vem aqui sua puta ... Senta esse cu na minha rola! . Num primeiro momento, aleguei a exaustão, mas a Vilma me posicionou de costas para a Estela. Porém, como estava realmente cansada, joguei o corpo para trás e deixei que a Estela fizesse os movimentos de entra e sai. Em seguida, a Vilma se posicionou na minha frente e foi forçando a pica para dentro da minha xoxota. Nossa, no primeiro momento, senti uma enorme dor, mais parecia que estava sendo deflorada (para quem nunca experimentou, não sabe o que está perdendo, o tesão dobra de intensidade), porém, sentindo partes de seus corpos junto ao meu, pois era um tesão sentir seus seios se esfregando nas minhas costas e nos meus seios. Por isso, bastou mais alguns segundos, para um fogo interior tomar conta de meu corpo e quando pressenti o orgasmo, tentei até me desvencilhar, me debati, gritei, esperneei e então, o quarto todo começou a rodar e então, senti aquela descarga elétrica e então, gritei com todas as minhas forças e então, desfaleci. Não sei quanto tempo fiquei desacordada, mas ao olhar para os lados, vi as duas dormindo engatadas, pois haviam colocado as suas chanas para brigar. Nisso, encostei a cabeça no travesseiro e dormi. Bom, depois de um merecido descanso e um bom banho, fomos embora, mas na saída, lhes paguei o triplo do que havíamos combinado. Então, rumei para casa feliz e saciada.

Contos Eroticos ...

DIRETOR CHANTAGISTA O conto que vou narrar não e verídico,mas existe por ai...Faz parte de um desenho erótico que assisti. Jorge era o diretor da escola Jorge Manuel Pai,seu pai que morreu a muitos anos.Com isso Jorge herdou a escola de moças do Japão. Jorge por ser tímido não tinha muitas garotas,um dia apareceu na sua sala uma aluna muito bonita,Erica,ela estava procurando um emprego de secretaria. Jorge viu ali sua chance de ter alguém para conversar e colocar seus planos em pratica.Erica adorou a escola e seu emprego,mas Jorge tinha outras coisas para Érika fazer alem de seu serviço normal.. Chamou Érica em sua sala e disse: -Bem Érica,esta gostando do emprego? -Estou sim Sr Jorge... -Pode me chamar só de Jorge quando estivermos sozinhos. -Ok Jorge. -Bem Érica,já que esta gostando de seu emprego quero que você realize meu desejo de tempos. -Qual é este desejo Jorge? -Quero fazer amor com você Érica,sei que é uma menina virgem. -Sou sim,mas não posso fazer amor com você,tenho namorado. -Voce que sabe Érica,se não fizer amor comigo vai ficar sem emprego.... E assim Érica teve que ceder aos caprichos de Jorge,ele arancou suas roupas ali mesmo e arreganhou a bucetinha virgem de Érica que se pos a chorar,o que diria a seu namorado agora? O tempo foi passando e Jorge sempre comia a bucetinha e cuzinho de Érica,sempre na base da chantagem. Um belo dia viu duas meninas novas em sua sala,ao lado delas uma mulher muito bonita,chegou e Érica disse: -Sr,esta e a Sra Mitoru,estas são suas filhas Jumi e Tomoko. -Muito prazer,Sra Mitoru e meninas.. Todas responderam.... Daí Mitoru disse: -Bem Sr Jorge,fui recomendada para esta escola,gostaria de matruicular minhas filhas aqui. -Claro Sra Mitoru,será feito.Érica matricule as meninas. -Sim Sr... E assim as meninas foram matriculadas,Jorge cresceu o olho para as meninas,eram muito bonitas,já estava tendo pensamentos de como conseguir foder aquelas garotas.. Pediu para Érica investigar a família de Mitoru,assim poder fazer algo para conseguir comer as filhas dela.. Mas isto você so vai saber no conto seguinte.. O diretor chantagista 2. Fim -





- DIRETOR CHANTAGISTA 2 Bem amigos,vamos a continuação do conto Diretor Chantagista,um conto de ficção baseado em um desenho erótico que assisti.No conto anterior Jorge um rapaz tímido herdou de seu pai uma escola de moças no Japão.Como não conseguia arranjar uma namorada arranjou uma secretaria bem novinha e fez chantagem com ela,se não fizer o que ele pedir ele a manda embora. Vamos continuar da parte que parei.Se matricularam na escola duas lindas garotas Jumi e Tomoko,Jorge logo pediu para Érica investigar a família das meninas. Ele soube que elas deviam a hipoteca da casa,então entrou em contato com o banco e pagou a divida,daí elas agora deviam a ele.Como não podia dizer isso ainda,soube que Mitori a mãe das meninas traziam elas todo dia em um horário.Então planejou algo bem maluco para poder ter elas em sua mão. Na hora certa estava chegando Mitori e suas filhas,Jorge pediu ao motorista entrar na frente delas e assim fazer com que bata no seu carro.Assim foi feito,Mitori não teve como escapar,bateu no carro dele,após declarações legais,ficou dito que Mitori teria que pagar o conserto de seu carro e de Jorge.Ela ficou apavorada,seu marido já trabalhava demais para pagar a casa,despesas,agora mais esta. Foi ai que Jorge pediu para seu filho adotivo ir ate a casa de Mitori e cobrar a divida do carro.Ele la foi todo contente,havia visto a foto dela e ficou encantado. Chegando la já foi mostrando o valor que Mitori devia pagar pleo conserto do carro,ela contestou mas não houve acordo.Ele então lhe disse para dar seu corpo como parte de pagamento.Mitori foi contra,mas ele foi categórico,ou pagava ou seu pai iria colocar eles na justiça.Mitori não achou saída e deu seu corpo.Ele se aproveitou e comeu bem gostoso a buceta de Mitori,ainda tirou foto,pois seu pai queria fazer chantagem daquilo também. Depois dos treinos do salão de esportes da escola Érica chamou Jumi ate a sala do diretor,la mostrou a foto de sua mãe fodendo com o enteado do diretor.Ela ficou apavorada,Érica disse que iriam contar ao pai de Jumi que sua mulher estava traindo ele.Jumi disse o que podia fazer para eles não contar.Foi ai que falaram para Jumi dar sua virgindade para o diretor,senão ele iria ate o pai dela contar sobre a foto. Jorge comeu Jumi na quadra da escola,espremeu seus seios na grade,fodeu sua buceta virgem.Nao contente com isso queria foder a mais nova, Tomoko.Enquanto isso seu filho aproveitava de Mitori. No próximo conto,digo como ficou esta estória de chantagem.....aguarde... Fim -





- DIRETOR CHANTAGISTA FINAL Como contei nos dois episódios anteriores,este e um conto baseado num desenho erótico que vi. O diretor após foder a secretaria,uma de suas alunas da escola que herdou,ainda queria a virgindade da irmã dela. Para poder foder sua buceta virgem ele pediu para o filho mostrar a foto da irmã dela dando a xoxota para ele.Tomoko saiu correndo,mas depois em outra oportunidade eles pegaram Tomoko,daí mostraram ao vivo o diretor comendo sua irmã.O engraçado e que Tomoko começou a gostar,mas Jorge foi bruto e arrancou o cabacinho dela com violência. Jumi chegou e viu Jorge saindo da sala,entrou e viu sua irmã la jogada,toda cheia de gozo daquele safado. Levou a irmã para casa,sua mãe ficou mais nervosa ainda.No banheiro enquanto lavava o corpo de sua irmã Jumi teve um espanto,sua irmã disse que apesar da violência havia gostado de ser fodida por Jorge.Ainda pediu para dormir com a irmã. Na cama Tomoko outra vez espantou a irmã tocando nos seus seios,Jumi também gostou e começaram a se acariciar,sua mãe veio ate o quarto para ver as filhas e se espantou,depois acabou entendendo. A secretaria de Jorge estava já com raiva do patrão por fazer tanta maldade, resolveu falar com seu enteado,ele como gostava de Érica aceitou trair o pai. Foram ate a casa da mãe das meninas e apresentou a hipoteca da casa também,alem do valor do carro a ser consertado.Érica estava junto e explicou a Mitori que aceitou,não agüentava mais aquela chantagem.Dai as quatro deram seus corpos para ele que ficou contente.Érica lhes disse tudo o que fazer para prender para sempre seu patrão.As meninas concordaram,como Jorge e tarado Érica disse que as duas queriam foder com ele.Claro que aceitou de imediato,so que ela tinha colocado um microfone na sala,ainda estava ligado ao som da escola,assim que as meninas começaram a chupar ele toda escola ouvia.Dai Érica ligou para policia falando sobre um Diretor de escola que fodia suas alunas e a tinha provas,testemunhas e fotos. O diretor safado foi preso por todos os crimes que cometeu,como la a lei e mais rígida Jorge ficou preso para sempre.Seu filho e que se deu bem,herdou a escola,a secretaria e Mitori,Judi e Tomoko como amantes. Fim